Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Os dramas dos bastidores de ‘Esquadrão Suicida’

Filme teve que vencer série de obstáculos envolvendo prazos, cortes e tensão por resultados até a estreia

As muitas críticas ruins destinadas ao filme Esquadrão Suicida são resultados de um bastidor bastante caótico, como mostra a reportagem da revista americana The Hollywood Reporter, que teve acesso a detalhes da produção do longa que chegou aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira. 

Como revela o texto, o longa foi produzido a duras penas pela Warner, que sofreu com problemas de prazo apertado, reedição e cortes na equipe técnica, os dois últimos percalços motivados por insatisfação com o material final, potencializado pela tensão para que o filme – que custou 175 milhões de dólares – seja um sucesso de bilheteria.

LEIA TAMBÉM:
Arlequina e Coringa seguram as pontas de ‘Esquadrão Suicida’

Ator de ‘Esquadrão Suicida’ diz que há possibilidade de sequência
‘Esquadrão Suicida’ terá pré-estreia em 863 salas do país

Tudo começou lá atrás, com Batman vs Superman: A Origem da Justiça, que estreou em março deste ano debaixo de uma chuva de críticas ruins, e uma bilheteria boa, 872 milhões de dólares, mas longe da almejada marca de 1 bilhão de dólares. O estúdio teria ficado insatisfeito com o resultado da produção e esperava algo bem diferente para o terceiro episódio do universo expandido da DC Comics. Porém, as resenhas insatisfeitas continuam — no agregador de críticas Rotten Tomatoes, Esquadrão Suicida está com tristes 26% de aprovação. 

Mesmo com a preocupação, o estúdio não diminuiu o prazo para produção do filme. “O diretor David Ayer escreveu o roteiro em seis semanas”, conta uma fonte da revista, dizendo ainda que adiar a estreia nunca foi uma opção. “Além da divulgação da data de lançamento para o público, já haviam grandes acordos ao redor do mundo com marcas enormes, parceiros publicitários. É uma coisa séria mudar a data de lançamento”, disse. A pressa, então, se tornou uma das principais pedras no caminho da equipe.

Por fim, o filme pronto não agradou em exibições prévias. Para os executivos do estúdio, o trabalho não alcançou o tom cômico prometido pelo primeiro trailer divulgado. A solução foi cortar membros da equipe técnica e trocar os profissionais responsáveis pela edição. A empresa Trailer Park, que fez o primeiro trailer, foi chamada para o processo. Apesar de apenas John Gilroy (Salt) ter sido creditado, diversos editores trabalharam no longa, sendo que Michael Tronick (Sr. & Sra. Smith) foi quem realmente finalizou o projeto. Com tantas costuras, não é de se surpreender que o filme tenha desagradado, com razão, a crítica.

Já os fãs, estão comprometidos em esquecer as más línguas. Em apenas dois dias de lançamento em 40 países, o filme já soma 30 milhões de dólares em bilheteria. Isso sem contar o mercado americano, onde o longa chega nesta sexta-feira. A expectativa da Warner é alcançar cerca de 140 milhões em bilheteria no primeiro fim de semana em cartaz no mundo. E, quem sabe, o sonhado 1 bilhão como resultado final.