Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obra de Paul Cézanne é leiloada por US$ 41,6 mi em NY

O quadro 'Les Pommes', de 1889, é considerada uma das maiores conquistas do artista no âmbito das naturezas mortas

O quadro Les Pommes, do francês Paul Cézanne (1839-1906), foi vendido nesta terça-feira em Nova York por 41,6 milhões de dólares, valor que inclui impostos e comissões, em um leilão de arte moderna e impressionista realizado pela Sotheby’s. A pintura, realizada em 1889, é considerada uma das maiores conquistas do artista no âmbito das naturezas mortas, já que nela desafia o espaço e as formas através de uma composição em movimento.

Cézanne conseguiu que o quadro, uma representação da natureza morta de maçãs e laranjas, fosse considerada pelos especialistas como o nascimento da arte moderna. “Cada maçã está pintada com traços particulares e embora se trate de uma temática clássica, em sua técnica se mostra a influência do impressionismo”, explica o especialista de arte impressionista da Sotheby’s, David Normal.

A outra joia do leilão foi o retrato L’Amazone, do artista Amedeo Modigliani (1884-1920), que uma colecionadora adquiriu por 25,9 milhões de dólares. Nela, Modigliani pintou a amante do irmão mais novo de seu mecenas, a elegante baronesa Marguerite de Hasse de Villers, que posou vestida com traje e luvas de montar a cavalo e com as mãos sobre a cintura. O quadro, pintado em 1909, é uma das obras mais vanguardistas do artista italiano e uma das imagens mais chamativas realizadas de uma mulher, pois nela a amazona lança um olhar fixo que cativa o espectador.

Ambas peças fazem parte das vinte obras oferecidas neste pregão e que procedem da coleção de Alex e Elisabeth Lewyt, uma das melhores coleções em Nova York de arte do século XIX. Durante esse leilão de primavera organizado pela Sotheby’s, os colecionadores também puderam adquirir obras de grandes artistas como Pablo Picasso, Georges Braque, Joan Miró, Vincent Van Gogh e Claude Monet, pelas quais a casa estima arrecadar um total de 160 milhões de dólares.

(Com agência EFE)