Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nobel da Literatura: 3 livros para conhecer a obra de Olga Tokarczuk

Dona de uma escrita inventiva, autora pouco conhecida no Brasil em breve chega às livrarias com novas edições em português

“Ela é uma das melhores escritoras do mundo de quem você nunca ouviu falar”. Foi assim que a revista de literatura britânica The Bookseller apresentou a polonesa Olga Tokarczuk no ano passado, quando ela levou o Man Booker Prize. Agora, laureada com o Nobel de Literatura, a fama mundial finalmente baterá na porta da complexa autora. No Brasil, há poucas traduções das obras de Olga — e todas estão fora de catálogo. Cenário que vai mudar a partir de novembro, quando a editora Todavia lança por aqui o primeiro de dois livros que vão ganhar novo acabamento e tradução direta do original.  

Confira, a seguir, uma seleção de três títulos essenciais para conhecer a obra de Olga Tokarczuk.

Sobre os Ossos dos Mortos 

Capa do livro 'Sobre os ossos dos mortos' (Todavia), da escritora polonesa Olga Tokarczuk Capa do livro ‘Sobre os Ossos dos Mortos’ (Todavia)

Capa do livro ‘Sobre os Ossos dos Mortos’ (Todavia) (Todavia/Divulgação)

O livro será o primeiro a ser lançado pela editora Todavia no Brasil, em novembro, com tradução de Olga Bagińska-Shinzato. No romance, Janina Duszejko é uma mulher excêntrica na casa dos 60 que narra a história do desaparecimento de seus dois cães. Reclusa, ela vive num vilarejo afastado e prefere a companhia de animais a de seres humanos. Quando dois membros de um clube de caça local são encontrados mortos, ela se envolve nas investigações.

O livro é um suspense não convencional, com teor filosófico e que reflete sobre temas como a loucura, a injustiça contra indivíduos marginalizados e os direitos dos animais — a própria Olga é vegetariana e militante da causa. A obra foi selecionada pelo jornal britânico The Guardian como um dos 100 melhores livros do século e adaptado para o cinema no filme Rastros, das diretoras holandesas Agnieszka Holland e Kasia Adamik. O longa levou o Urso de Prata do prêmio Alfred Bauer (que elege filmes de linguagem inovadora) no Festival de Berlim de 2017.


Viagens 

Capa da versão em inglês do livro 'Flights', da autora polonesa Olga Tokarczuk, que será lançado em português pela editora Todavia em 2020 Capa da versão em inglês do livro ‘Flights’

Capa da versão em inglês do livro ‘Flights’ (Riverhead Books/Divulgação)

Vencedor do Man Booker International Prize, em 2018, o livro chegou ao Brasil em 2014 pela editora Tinta Negra como Os Vagantes. Em 2020, o romance ganhará uma nova edição pela Todavia, sob o título (ainda provisório) Viagens. Com uma viajante sem nome como fio condutor, o livro apresenta 116 contos que misturam personagens reais e fictícios, em uma trama filosófica sobre a alma e o corpo, a vida e a morte, e que atravessa um longo período entre os séculos XVII e XXI. De fato uma “viagem”, a obra ainda investiga as práticas de conservação de órgãos e cadáveres, incluindo práticas como a plastinação de corpos — trama costurada por elementos da mitologia até a medicina. O título original do livro no polonês, Bieguni, diz muito sobre o sentido da obra: a palavra é uma referência a uma lenda do país, que diz que estar em constante movimento protege o corpo de todo o mal.

 

 

 

The Books of Jacob

Capa da edição em inglês do livro 'The Books of Jacob', da polonesa Olga Tokarczuk, ainda sem edição brasileira Capa da edição em inglês do livro ‘The Books of Jacob’

Capa da edição em inglês do livro ‘The Books of Jacob’ (Fitzcarraldo Editions/Divulgação)

Ainda sem edição brasileira, Os Livros de Jacó (em tradução livre) narra a história de Jacob Frank, figura histórica do século XVIII. Ele foi o líder de uma misteriosa seita de judeus que se converteram tanto ao islamismo quanto ao catolicismo. No livro, a autora explora a história de Jacob pela perspectiva de seus seguidores e também daqueles contrários a ele. Assim como o personagem, a publicação da obra dividiu opiniões: ao mesmo tempo em que foi altamente elogiado pela crítica e premiado com o Nike (2015), mais alta honraria literária da polônia, The Books of Jacob foi recebido por grupos de extrema-direita com uma reação violenta, incluindo ameças de morte à autora.

Para o comitê do Nobel, o romance histórico é “a obra-prima” de Olga Tokarczuk, que “mostrou neste trabalho, a capacidade suprema do romance de representar um caso quase além da compreensão humana”.