Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Museu devolverá quadro atribuído a Van Gogh vendido durante nazismo

Instituição australiana acredita que obra foi parte de uma venda forçada do judeu alemão Richard Semmel, na década de 1930

O museu australiano National Gallery of Victoria (GNV) devolverá um retrato, cuja autoria é atribuída a Vincent Van Gogh, aos seus legítimos proprietários, no que é considerada a primeira restituição pelo país de uma obra de arte perdida sob o regime nazista.

A instituição acredita que a obra Cabeça de Homem fez parte de uma venda forçada do judeu alemão Richard Semmel, em 1933, e que, por isso, deveria ser devolvida aos seus herdeiros.

“Entendemos que este é o primeiro caso do tipo na Austrália”, disse o museu em um comunicado publicado na internet esta semana.

Leia também:

Pintura inédita de Van Gogh é revelada por museu holandês

Quadro confiscado pelos nazistas duas vezes será devolvido aos donos

França vai devolver três pinturas roubadas por nazistas

De acordo com o Comitê de Restituição Holandês, que analisa os pedidos de restituição, Richard Semmel precisou vender sua coleção para escapar da perseguição nazista aos judeus. Quando o Museu de Melbourne comprou a pintura, em 1940, esta já havia mudado de mãos várias vezes. Recentemente a tela foi avaliada em 20 milhões de dólares (cerca de 44 milhões de reais).

Após as dúvidas suscitadas entre os especialistas, em 2006 o Van Gogh Museum de Amsterdã concluiu que o trabalho não seria do famoso artista, mas que poderia pertencer a um seguidor que trabalhou na mesma época em que Van Gogh.

“A atribuição da obra não influenciou a decisão da NGV de devolvê-la”, disse o museu, que considera a devolução uma questão “moral” .

A galeria aguarda a resposta dos herdeiros de Semmel, que estariam vivendo na África do Sul e reivindicaram a tela no ano passado.

(Com agência France-Presse)