Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mensagem a Dalai Lama pode ter cancelado shows do Maroon 5 na China

Jesse Charmichael, tecladista da banda, desejou parabéns ao líder tibetano em seu aniversário — publicação foi apagada da rede social pouco depois

Por Da Redação - 17 jul 2015, 11h44

Os shows da banda Maroon 5, marcados para setembro na China, foram cancelados e o motivo pode ser uma mensagem de parabéns escrita por Jesse Carmichael, tecladista da banda, a Dalai Lama, líder espiritual que busca a independência do Tibete do governo chinês. Os shows em Xangai e Pequim foram riscados da agenda do grupo americano no início desta semana, quando a promotora Live Nation divulgou a informação. Porém, não foi dada uma explicação sobre o cancelamento.

LEIA TAMBÉM:

Papa recusa reunião com Dalai Lama para não irritar China

Novo disco de Maroon 5 lidera ranking de mais vendidos

Continua após a publicidade

Adam Levine é eleito o homem mais sexy do mundo

Em 4 de julho, Charmichael publicou uma mensagem em seu perfil no Twitter dando os parabéns ao líder tibetano exilado do país chinês desde 1959. O texto foi apagado horas depois. O músico também compareceu à festa em celebração ao 80º aniversário de Dalai Lama, nos Estados Unidos, segundo o jornal britânico The Guardian.

Ainda de acordo com o jornal, na rede social Weibo, versão chinesa do Twitter, um usuário escreveu: “Qualquer um que apoie os separatistas tibetanos merece entrar na lista negra”. Já outro, também anônimo, manteve a postura pró-governo ao afirmar que “estrangeiros não têm o direito de se meter em nossa política interna”.

Maroon 5 não é a primeira banda a ter problemas com as autoridades da China. Em 2008, a cantora islandesa Björk se manifestou em favor ao Tibete durante um show em Xangai. No ano seguinte, Oasis teve de cancelar sua apresentação após o governo descobrir que Noel Gallagher, guitarrista da banda britânica, havia tocado em um evento chamado “Tibete Livre”, em Nova York, em 1997.

Publicidade