Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça proíbe Lírio Parisotto de se aproximar de Luiza Brunet

Ex-modelo fez representação junto ao Ministério Público do Estado de São Paulo, que acionou a Justiça pedindo medidas preventivas que afastem o empresário da ex-namorada

Acusado pela ex-namorada Luiza Brunet de espancá-la durante uma viagem a Nova York, em maio, o empresário Lírio Parisotto está proibido de se aproximar da ex-modelo. O veto é decorrente de uma medida preventiva obtida na Justiça pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, na última terça-feira.

LEIA TAMBÉM:

Ex de Luiza Brunet se defende: ‘Versão distorcida’

Luiza, que teve a sua história revelada nesta sexta-feira pela coluna Ancelmo Góis, do jornal O Globo, procurou o MP na semana passada. A atriz fez uma representação ao Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid), do órgão, na quinta-feira, dia 23, em que diz ter sido vítima de agressão doméstica.

“Em razão dessa representação, o promotor de Justiça Carlos Bruno Gaya da Costa requisitou a realização de exames de corpo de delito e instaurou um procedimento investigatório criminal que está em fase inicial e é protegido por sigilo”, diz comunicado do Ministério Público do Estado de São Paulo. “A Justiça deferiu pedido do MP e na última terça-feira decretou medidas protetivas, pelas quais o investigado fica proibido de se aproximar da atriz e de manter contato com ela por qualquer meio.”

Luiza Brunet alega ter sido espancada por Lírio Parisotto em meio a uma crise de ciúmes, no apartamento do empresário em Nova York, na madrugada de 21 de maio passado. Ele teria desferido um soco e pontapés contra a ex-modelo, que teria acabado com quatro costelas quebradas.