Clique e assine com 88% de desconto

‘Jurassic World’, nova produção sobre dinossauros de Steven Spielberg, faz história nas bilheterias logo em seus primeiros dias de exibição

Estrelada por Chris Pratt, a sequência em 3D do sucesso de 1993 foi a terceira melhor bilheteria de todos os tempos para uma sexta-feira de estreia nos Estados Unidos, com faturamento de 60 milhões de dólares. E também arrasou nos mercados internacionais

Por Da Redação - 13 jun 2015, 17h12

O final de semana nem se completou, mas os répteis jurássicos do filme Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros já mostraram sua força. A nova sequência em 3D do sucesso arrasa-quarteirão dirigido por Steven Spielberg em 1993, que conta com produção-executiva do próprio cineasta, fez história em sua sexta-feira de estreia nos Estados Unidos. Com faturamento de 82,2 milhões de dólares, obteve a terceira maior bilheteria de todos os tempos para uma data de lançamento, atrás apenas da primeira parte de Harry Potter e as Relíquias da Morte, de 2010, e de Vingadores: Era de Ultron, lançado recentemente. Nas contas dos especialistas, não ser surpresa se romper a barreira dos 180 milhões de dólares nos cinemas americanos até este domingo.

Lançado no Brasil na quinta-feira 11, Jurassic World também está fazendo bonito em sua carreira internacional. Os 60 milhões de dólares que arrecadou em 66 países representam o melhor desempenho em uma sexta-feira nos 103 anos de história do estúdio Universal. Globalmente, o faturamento já ultrapassou a marca dos 200 milhões de dólares desde que o filme chegou às salas de exibição mundiais, no meio da semana passada.

Jurassic World recicla, com o padrão de excelência dos efeitos visuais de hoje, a mesmíssima fórmula do sucesso original e seus derivados. Dirigido por Colin Trevorrow e estrelado por Chris Pratt e Bryce Dallas Howard, o filme volta a explorar o mote de um parque no qual a temerária diversão é botar turistas em contato bem próximo com dinossauros. Uma ideia maluca que nunca poderia dar certo, claro – mas que sempre se mostrou infalível para levar multidões aos cinemas.

(da redação)

Publicidade