Clique e assine a partir de 9,90/mês

Julieta Venegas é atração de festival de música em SP

Por Da Redação - 24 ago 2011, 11h00

Por AE

São Paulo – A terceira faixa do último álbum de estúdio, “Otra Cosa” (2010), transmite uma insegurança impensável de Julieta Venegas. Em “Debajo de Mi Lengua”, ela canta: “debaixo de minha língua, se escondem palavras que revelam tudo de mim/Poderia dizer a você as minhas inseguranças, chego a me sentir pequena”, numa balada, conduzida em voz e violão por 40 segundos. É confessional. Aos 40 anos e mãe de Simona, de 1, a cantora e compositora nascida nos EUA, mas mexicana de “coração e alma”, como ela diz, encontra-se num momento de reflexão. De expor suas fraquezas para, assim, amadurecer.

E é com esse sentimento que Julieta volta ao Brasil, depois de uma passagem por Porto Alegre, em maio deste ano, como a atração mais pop do festival latino-brasileiro Telefônica Sonidos, que reúne 18 atrações nacionais e de países hispânicos, ao lado da colaboradora de longa data Marisa Monte. Os shows, divididos em dois palcos, Pop Urban e Jazz Latino, começam hoje e vão até sábado, no Jockey Club. As duas se apresentam na sexta, às 22h30.

A relação com Marisa Monte ganhou grandes proporções e se estreitou quando Julieta foi convidada para gravar o acústico “MTV Unplugged”, em 2008, e chamou a brasileira para cantar “Ilusión”, composta pela dupla com Arnaldo Antunes. “Vamos tocar essa música em São Paulo. Será incrível dividir o palco com ela. Ainda mais voltando ao Brasil. Era um sonho. Agora é uma realidade.”

Continua após a publicidade

Assim como Marisa Monte, Julieta é popular, mas comedida. São sete milhões de discos vendidos ao redor do mundo e seis prêmios Grammy (cinco latinos e um internacional), reunidos na estante de sua casa, na Cidade do México. No entanto, não se considera uma artista pop latina. “Quando se fala isso, em ser pop, eu imagino alguém rebolando no palco e não cantando. Não concordo com isso. Eu gosto de música.”

A cantora também recusa a responsabilidade de ser representante da música latina para o mundo. “Acho que não posso ser exemplo de nada. Sou, sim, latina. Sou mexicana. Tenho sorte de ser assim.” Ela explica que o fato de ter nascido nos EUA vem do desejo de seus pais de que ela morasse por lá. “Isso era comum. As pessoas atravessavam a fronteira para ter filhos na América.” Sua filha, por sua vez, nasceu na Cidade do México, onde mora até hoje.

Seu recente disco é reflexo dessa fase em que ela canta músicas tão confessionais, de letras que expõem uma faceta frágil. Mas, ao mesmo tempo, se diz mais segura do que nunca. O fato é que a maternidade mudou a forma de Julieta ver o mundo e como nele se insere. Durante a entrevista, ela revela que nunca esteve satisfeita com sua voz. “Sempre me senti mais uma compositora do que uma intérprete. Não sabia como impor a minha voz para cantar. Isso é algo com que só consigo me sentir satisfeita agora.” A Julieta Venegas que volta ao Brasil é outra: confiante, exposta, mãe. As informações são do Jornal da Tarde.

Festival Telefônica Sonidos – Mundo Latino. Jockey Club de São Paulo (Av. Lineu de Paula Machado, 1263, Morumbi). Tel. (011) 4003-1212. De hoje até sábado. Os portões abrem às 21h. R$ 100 a R$ 340 (quatro dias de shows).

Publicidade