Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

IMPERDÍVEL: ‘Loucas de Alegria’ põe duas malucas na estrada

Road movie com personagens fora da caixa, novo filme de Paolo Virzi é uma mistura boa de 'Thelma & Louise' e 'Garota Interrompida'

(La Pazza Gioia, Itália, França, 2016) Antes de mais nada, uma advertência: o filme padece de slow motion e de algum sentimentalismo. Isso posto de lado, Loucas de Alegria, o novo longa de Paolo Virzi (Capital Humano) é uma grande sessão. Fusão sui generis de Thelma & Louise (1991) com Garota Interrompida (1999), e ainda com algo de Orange Is the New Black, a série da Netflix, a comédia conta a história da relação de Beatrice Morandini Valdirana (Valeria Bruni Tedeschi, irmã de Carla Bruni), uma ricaça sem filhos mas com transtorno de personalidade, que vai parar em um manicômio judiciário instalado em uma antiga propriedade da família depois de trair o marido com um tipo em tudo suspeito, e a maníaco-depressiva Donatella Morelli (Micaela Ramazzotti), mãe solteira de origem diametralmente oposta, e acusada de tentativa de homicídio. Uma é vaidosa e refinada, vive como uma sinhá entre mucamas amalucadas, anda sem parar de falar e de mover mãos e braços, como uma boa histérica italiana pode ser. A outra se veste com andrajos e parece sempre sombria e acabrunhada, como se tivesse um cadáver debaixo da cama. Apesar das aparências, elas têm muito em comum — paixão por remédios e uma necessidade desenfreada de se sentir bem — e, logo que Beatrice põe os olhos em Donatella, ela pressente que a sua solidão, enfim, pode acabar. É esse clique que as levará a trabalhar juntas na instituição e também a fugir de lá, dando início a uma fuga pela estrada, primeiro de ônibus, depois de carro, em que as duas vão não apenas se aproximar, mas também confrontar unidas dramas pessoais que ficaram suspensos quando detidas.