Clique e assine a partir de 9,90/mês

Hebe na RedeTV!: ‘Se fosse para continuar só batendo papo no meu sofá, eu não precisaria ter saído do SBT’

Na estreia na nova emissora, programa que leva seu nome tenta ser diferente

Por Pollyane Lima e Silva - 2 mar 2011, 10h32

“Gosto muito dele, mas não nos falamos desde que saí. Ele deve estar assustado. Deve ter pensado que eu estava velha e não receberia convite para trabalhar em nenhum lugar”

Hebe, falando sobre Silvio Santos

Prestes a completar 82 anos – em plena terça-feira de Carnaval, em cima do trio elétrico de Claudia Leitte – Hebe Camargo inicia uma nova etapa da sua carreira. Mas este não é um recomeço qualquer. Claramente, a apresentadora quer deixar o passado do SBT para trás e se dedicar a fazer um programa diferente na Rede TV, cuja estreia foi gravada na noite de terça-feira. O cenário, muito mais moderno, cheio de luzes e cores, pouco lembra o anterior. A orquestra de 21 músicos foi substituída por um sexteto, que toca a vinheta de abertura onde ela aparece em uma animação. O sofá continua, mas além da cor (antes branco, agora prata), a importância dele também mudou.

“Se fosse para continuar só batendo papo no meu sofá, eu não precisaria ter saído do SBT”, explica ela. Mas as tão tradicionais conversas com famosos tão à vontade quanto nas salas de suas casas não irão sumir de vez. “Também sento no meu sofá, claro, mas agora, vou fazer mais externas”, como a entrevista com a presidente Dilma Rousseff em Brasília e um quadro cômico com um sósia do cantor Roberto Carlos em Las Vegas, ambos exibidos no primeiro programa, que vai ao ar no próximo dia 15 às 22 horas.

Continua após a publicidade

Para a produção, está claro que esse rompimento com qualquer vestígio que lembre a emissora anterior é uma preocupação do diretor Paulo Trevisan. “Ele me sugeriu coisas bem diferentes que eu aceitei fazer na hora”, adianta Hebe. O programa continua levando seu nome, com letras em dourado, mas em outra fonte e sem estrela. Suas famosas rosas importadas, que entregava a convidados e algumas pessoas da plateia, também foram deixadas de lado, ficando restritas somente à rica decoração do estúdio.

Entrada: Hebe chegou cantando, pelo alto do estúdio
Entrada: Hebe chegou cantando, pelo alto do estúdio VEJA

Horário – Por maior que seja o esforço em se renovar, porém, não é fácil mudar 25 anos de história, tempo em que Hebe ficou no SBT. Assim, o nome de Silvio Santos foi dito várias vezes, sem qualquer cerimônia – antes, durante e após a gravação. “Gosto muito dele, mas não nos falamos desde que saí. Ele deve estar assustado, deve ter pensado que eu estava velha e não receberia convite para trabalhar em nenhum outro lugar”, disse a apresentadora, que por diversas vezes deixou claro um certo ressentimento que carrega do ex-patrão.

“Eu estava tristinha lá”, resumiu, referindo-se principalmente à constante troca de horário, dias e a redução de tempo de seu programa, sempre sujeito à instável programação da emissora do dono do baú. “Era uma falta de respeito, não só comigo, mas com meus fãs e os patrocinadores também. Todo mundo que trabalha lá sofre com isso.”

Por isso, mais de uma vez, ela fez questão de destacar que, na RedeTV!, seu programa irá ao ar todas as terças, impreterivelmente às 22 horas. “Aqui, não tem essa história de um dia começa em um horário, na semana seguinte em outro.” Apesar das indiretas, a primeira coisa que fez ao pisar no palco – após cruzar o estúdio pelo alto em uma plataforma puxada por cabos e devidamente brilhante – foi agradecer “à outra casa”, sem se prender aos pontos negativos: “Foram 25 anos muito felizes”.

Continua após a publicidade
'Beijo técnico' em Daniel Boaventura
‘Beijo técnico’ em Daniel Boaventura VEJA

Nem tão diferente – Apesar da estrutura ter mudado, a principal essência dos programas de Hebe Camargo parece impossível de ser modificada: ela mesma. Por ser uma apresentadora que imprime sua marca em tudo o que faz, ela não conseguiria ser inovadora em sua postura (não que ela precise). Portanto, o que se viu no palco da RedeTV! na gravação de terça-feira foi uma apresentadora muito mais confiante, feliz com um maior tempo no ar (de 40 minutos no SBT para mais de uma hora agora), mas com a mesma desenvoltura e ainda sem papas na língua.

“A Hebe não muda”, concluiu bem Sérgio Reis, um dos convidados de seu primeiro programa, ao lado dos também cantores Daniel, Paula Fernandes e Luan Santana, e do ator Daniel Boaventura. O global, aliás, foi o protagonista de um dos melhores momentos da noite: depois debater com ele se existe ou não beijo técnico, ela lhe pediu um, que não se fez de rogado. “Que delícia”, exclamou a apresentadora depois, repetidamente e aos suspiros. A cantora Paula Fernandes não escapou de piadas indiretas sobre Roberto Carlos (boatos insinuam um relacionamento entre os dois), ao mesmo tempo em que ela tentava descobrir como estava a vida amorosa dos solteiros do palco.

Nem a primeira-dama da emissora saiu ilesa das brincadeiras indiscretas. Durante uma conversa sobre tecnologia, Daniela Albuquerque disse que seu marido e um dos sócios da Rede TV, Amilcare Dallevo Jr., é fascinado por todas as novidades do mundo digital. “Se ele pudesse, colocava um chip em mim”, disse ela. “Só o chip?”, emendou Hebe, soltando gargalhadas da plateia. Mas Hebe pode. Ela sempre teve liberdade para falar sem se preocupar com o sentido que aquilo ganharia, e ninguém a condena por isso – ao contrário, é exatamente o que a faz ficar tão à vontade em frente às câmeras e ser considerada a diva da TV brasileira. “Eu estava tão nervosa! Não parecia? Que bom”, revelou, ao fim de sua primeira gravação na “nova casa”. “Há momentos na vida que a gente não esquece, esse é um deles.”

Galeria de fotos: Os famosos que passaram pelo tapete vermelho de Hebe

Continua após a publicidade

Publicidade