Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hackers do caso Carolina Dieckmann debochavam da polícia em conversa na internet

Envolvidos duvidavam do trabalho da polícia e chegaram a brincar sobre a possibilidade de serem presos. Um deles nega saber da tentativa de extorsão

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro rastreou conversas na internet entre os envolvidos no vazamento das fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann. Em um dos trechos, o dono do site onde as imagens foram divulgadas, Pedro Henrique Mathias, desdenha do trabalho da delegacia especializada.

“(…) delegacia de crimes de informática e nada é mesmo (sic) m****… mas tem delegadozinho que adora aparecer na midia (sic)”, diz Mathias, em transcrição divulgada pela Polícia Civil.

Na sequência, o interlocutor, identificado como Diih, afirma que desconhece a suposta tentativa de extorsão, no valor de 10 mil reais. “Ele não me falou nada”, escreveu Diih.

No diálogo, os dois mostram que estavam acompanhando a repercussão do caso na imprensa e nas redes sociais. Eles brincam com a possibilidade de serem descobertos pela polícia. “Daqui uns dias ta a PF interrogando a gente hehe (sic)”, escreveu um dos suspeitos.

Na tarde desta segunda-feira, o advogado de Carolina Dieckamann, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, se reunirá com o delegado Gilson Perdigão, na DRCI. No encontro, ele agradecerá a agilidade da polícia diante do caso e buscará mais detalhes sobre a investigação. O próximo passo da polícia será ouvir oficialmente os quatro suspeitos, que só falaram informalmente.