Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gérard Depardieu interpretará Dominique Strauss-Kahn no cinema

Paris, 4 fev (EFE).- O ator francês Gérard Depardieu interpretará o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, em um filme que será dirigido pelo cineasta americano Abel Ferrara nos próximos meses em Paris, Washington e Nova York.

Depardieu terá a companhia de outra estrela do cinema francês, Isabelle Adjani, anunciou o próprio Ferrara na edição deste sábado do diário vespertino ‘Le Monde’.

Com sua entrevista deste sábado ao jornal francês, Ferrara confirma os rumores que circulavam há algum tempo na França sobre a participação de Depardieu em um longa-metragem sobre o ex-ministro socialista, conhecido como DSK, acusado em 2011 por tentativa de estupro contra uma camareira do hotel Sofitel de Nova York.

O filme será rodado, nas palavras de Ferrara, ‘em todos os centros de poder, de fato: é um filme sobre gente rica e poderosa’.

Segundo Vincent Maraval, fundador da distribuidora Wild Bunch e produtor do filme ‘4:44 Last Day on Earth’, que estreia agora nos Estados Unidos, ainda não fixou a data de início das filmagens, mas afirmou ao ‘Le Monde’ que tem a intenção de começar em junho.

Se de fato acabar sendo em junho, será pouco mais de um ano após Strauss-Kahn ter sido preso em Nova York devido ao incidente com a camareira no ano passado. A denúncia levou o político francês à Justiça americana, que arquivou o processo, no entanto, por dúvidas sobre a credibilidade da suposta vítima.

O escândalo associado ao caso abalou a reputação de DSK e obrigou-o a renunciar ao então cargo de diretor-gerente do FMI. Ele também teve de desistir de concorrer às eleições presidenciais deste ano na França.

Ferrara reconheceu ao ‘Le Monde’ que não conhece Depardieu muito bem. ‘Mas me encontrei com ele em Deauville (França) em setembro de 2011, por mediação de Vincent Maraval. Ele me parece ser genial, pensa, sente as coisas, está no assunto, totalmente’, declarou. ‘É tudo o que um cineasta pode esperar de um ator’.

O diretor ressaltou que o roteiro do filme já está escrito e se baseia tanto nas informações sobre DSK reveladas pela imprensa nos últimos meses como outras procedentes de fontes próprias.

‘Tenho meus próprios policiais’, brincou Ferrara, que enfatizou que seu filme será uma ficção, e não será uma descrição minuto a minuto do que aconteceu no quarto do hotel Sofitel de Nova York. ‘Será um filme sobre política e sexo com Depardieu e Adjani. Tanto como dizer que será um filme sobre eles dois’. EFE