Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Filme ‘American Ultra’ tem muito sangue e pouca graça

Comédia de ação traz Jesse Eisenberg e Kristen Stewart como casal drogadito com passado na CIA

Mistura de comédia e ação, American Ultra: Armados e Alucinados é do tipo de filme que o trailer é mais interessante que a produção em si. Com Jesse Eisenberg (A Rede Social) e Kristen Stewart (Crepúsculo) no elenco, o longa dirigido pelo londrino Nima Nourizadeh (Projeto X) traz muita violência, com direito a litros de sangue espirrados por todos os lados, e um humor forçado, confuso, que falha em sua principal tarefa: fazer rir.

A história gira em torno do casal Phoebe Larson (Kristen) e Mike Howell (Einsenberg), cujas vidas se resumem a fumar maconha em casa. Ele, contudo, ainda se organiza para comparecer ao trabalho na loja de conveniências de um posto de gasolina, no pacato município de Liman, Virginia do Norte, Estados Unidos. Mike é uma pessoa que lida com um bloqueio na memória, além de síndrome do pânico, características que o impedem de deixar a cidade. Ele não se lembra da vida antes de conhecer a namorada e é um assíduo frequentador da delegacia, por causa de seu envolvimento com drogas.

LEIA TAMBÉM:

Kristen Stewart viverá Coco Chanel em curta-metragem

Woody Allen confirma Jesse Eisenberg e Kristen Stewart em novo filme

Jesse Eisenberg, de ‘A Rede Social’ será Lex Luthor

A pacata e supérflua vida dos dois, entretanto, não é tão desimportante quanto parece. O casal está na lista de interesses da CIA e sob a proteção da investigadora Victoria Lasseter (Connie Britton), que fica desesperada ao saber que a organização planeja matar um de seus agentes mais importantes: Mike. Victoria encontra o perturbado jovem no trabalho, enquanto ele escreve um gibi sobre um macaco alienígena – detalhe que corrobora a atmosfera sem sentido do longa. Ela fala algumas palavras estranhas, que parecem ativar um novo homem dentro de Mike. Com isso, ele desenvolve uma incrível habilidade marcial e se torna capaz de vencer a quantidade de inimigos que for, mesmo desarmado. Aliás, ele consegue transformar colheres e panelas, por exemplo, em instrumentos mortais.

A partir daí, uma perseguição começa na cidade. Mike não entende nada, especialmente de onde vem sua repentina habilidade de lutar. O personagem ainda descobre que sua namorada também está envolvida com a CIA, caso tratado com certa leviandade pelo roteiro.

Eisenberg segura como pode o filme, já Kristen passa longe de demonstrar a segurança de uma agente secreta. O longa tentou repetir o sucesso de títulos como O Grande Lebowski, de 1999, e Segurando as Pontas, de 2008, comédias chamadas de Stoner Film, com personagens engraçadas que exageram no uso da maconha. Porém, a partir da reviravolta de Mike, o filme segue em uma sequência intensa e nonsense de mortes, tiroteios e tentativas frustradas de piadas, para chegar a uma conclusão decepcionante – e mal explicada.