Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-baterista do AC/DC tem apelação negada e é condenado a prisão domiciliar

Phil Rudd deverá passar oito meses em casa e enfrentar mais seis meses de condicional, além de ter de pagar uma multa de 120 000 dólares neozelandeses

O ex-baterista do AC/DC, Phil Rudd, teve seu apelo judicial contra a condenação de oito meses de prisão domiciliar e mais seis meses de condicional, além do pagamento de uma multa de 120 000 dólares neozelandeses (309 720 reais), negada pela Justiça da Nova Zelândia. O músico foi acusado de contratar um assassino de aluguel para matar dois homens – em um plano que não chegou a se concretizar. Além disso, Rudd enfrenta acusações de posse de metanfetamina e maconha. Em abril, o baterista havia admitido ter ameaçado de morte um empregado e sua filha de 10 anos, além de se declarar culpado pela posse de drogas. As informações são do jornal britânico The Guardian.

LEIA TAMBÉM:

Ex-baterista do AC/DC se declara culpado por ameaça de morte

Baterista do AC/DC é acusado de tentar contratar matador

Baterista do AC/DC é condenado a 8 meses de prisão domiciliar

O músico gravou o último álbum do AC/DC, Rock or Bust, com os antigos companheiros, mas seu comportamento já estava causando desentendimentos dentro da banda, principalmente com o guitarrista Angus Young, segundo o Guardian. Em entrevista à Rolling Stone americana em agosto, o baterista disse que conseguiria seu emprego de volta se pudesse conversar por cinco minutos com Young. O AC/DC atualmente está no meio de uma turnê mundial, com Chris Slade substituindo Rudd nas baquetas.

(Da redação)