Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Ele correu pra cima de mim’, diz fotógrafo vítima de Caio Castro

‘Foi uma cabeçada profissional’, conta André Ligeiro, para quem a atitude do ator é ‘injustificável’. ‘Eu não estava fazendo paparazzo’

Contratado pela organização da Festa Saravá para registrar o movimento do evento, uma celebração pré-Réveillon promovida na madrugada desta sexta-feira em Trancoso, sul da Bahia, o fotógrafo paulistano André Ligeiro teve seu expediente abreviado na pancada. Quando o ator Caio Castro chegava ao lugar, uma pessoa que o acompanhava avisou que ele não queria ser fotografado, mas Ligeiro fez um clique e precisou deixar o local em minutos, direto para o hospital. Irritado por não ser atendido, Caio Castro deu uma senhora cabeçada no supercílio do fotógrafo.

“Foi uma cabeçada profissional”, conta André, que chegou a ficar com a vista turva e escura, próximo de desmaiar, quando recebia os primeiros socorros, ainda no evento. “Se eu me desse uma cabeçada dessa, acho que cortaria a minha própria cabeça”, tenta definir, de um jeito confuso. O fotógrafo falou com o site de VEJA a caminho da delegacia de Porto Seguro, onde planejava registrar um Boletim de Ocorrência sobre a agressão.

Para amenizar a situação, a assessoria de imprensa do ator distribuiu um comunicado no fim da tarde desta sexta, explicando que Caio Castro não queria ser clicado porque a patrocinadora da festa seria concorrente de uma marca à qual o ator é ligado. Segundo Ligeiro, isso não foi dito a ele. “Ninguém me explicou nada, não deu tempo. Ele estava entrando na festa, a menina que estava com ele disse que não queria foto, mas eu precisava tirar, então, cliquei e corri, porque ele começou a gritar”, diz. “Ele correu pra cima de mim e me puxou. Algumas pessoas tentaram segurá-lo pelo braço, ele então me puxou com a outra mão e me deu uma cabeçada.”

Para o fotógrafo, a justificativa dada pela assessoria do ator é uma “desculpinha”. “Não aparecia marca nenhuma na foto. Não tinha nada. Isso foi uma desculpinha para abafar, entendeu? Nada justifica ele ter feito o que fez”, diz. “Se não queria ter a foto divulgada, era só ele falar com o dono do evento. Eu não estava fazendo trabalho de paparazzo, eu estava trabalhando para a galera do evento. Era só ele pedir para a organização não divulgar a foto e pedir para apagar. Ninguém ia prejudicar ele.”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gabriel F. S. Filho

    Processa.

    Curtir

  2. Vanessa Pereira

    Esses vagabundos disfarçados de celebridades têm que entender que não são donos do mundo. Contrata um bom advogado e mete um processo no rabo desse “ator”. Tem arrancar até o último centavo.

    Curtir

  3. Edmar Cotapacheco

    seja qual contrato ele nao pode sair dando cabeçada.so fazer igual a idiota que se diz chamar “katia”

    Curtir

  4. Estava drogado….sub-celebridade…

    Curtir

  5. Se não quiser ser fotografado não deve ser fotografado, simples! Fotógrafos, jornalistas etc. pensam que podem tudo. Estão errados. Bem feito!

    Curtir

  6. Ataíde Jorge de Oliveira

    EççE C.C. vai AKBaR ficANDO famo$$o, né_NãO

    Curtir

  7. Napoleao Gomes

    Sou a favor de que se queimem drogados agressivos em praças pelo país!

    Curtir

  8. Antônio Carlos Signorini

    Agora é só processar este bosta e depois que ele se ferrar, contratar alguém para fazer o mesmo nele!!! Bosta é sempre bosta!!!

    Curtir