Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Disco com inéditas de Kurt Cobain sai em novembro

CD vai reunir faixas pesquisas e usadas pelo diretor Brett Morgen no documentário 'Cobain: Montage of Heck'

O lançamento em DVD do documentário Cobain: Montage of Heck, previsto para 6 de novembro nos Estados Unidos, será acompanhado de um álbum com faixas inéditas de Kurt Cobain usadas no filme. As músicas foram descobertas pelo diretor Brett Morgen em sua pesquisa para o longa. Há “horas e horas” de sons nunca ouvidos de Kobain, que passarão por um filtro para compor o CD.

LEIA TAMBÉM:

Filha de Kurt Cobain diz que prefere Oasis ao Nirvana

Reveladas fotos inéditas do primeiro show do Nirvana

Juíza nega pedido de divulgação de fotos de Kurt Cobain morto

“Não conseguia entender que isto existia e ninguém havia encontrado ainda”, disse o diretor ao site americano AwardsLine. Mas, de fato, para Montage of Heck Morgen teve um acesso sem precedentes ao arquivo pessoal de Kurt Cobain e ao acervo do Nirvana.

O novo disco será o primeiro inédito de Cobain desde 2004, quando foi lançado With the Lights Out.

Smells Like Teen Spirit, Nirvana (1991)

A faixa de abertura do disco Nevermind chegou ao 6º lugar da Billboard pouco depois de lançada como single e se tornou hino de uma geração, além de demarcar a ascensão do Nirvana ao status de mainstream. Assumidamente inspirada em músicas do Pixies, banda de rock alternativa relevante dos anos 1980, Smells Like Teen Spirit embala agora o revival do grunge.

Jeremy, Pearl Jam (1991)

Carro-chefe do disco Ten, lançado em 1991, Jeremy tem como inspiração as histórias de dois estudantes americanos: um que cometeu suicídio diante da própria turma e outro que atirou contra colegas. Cantada com vigor por Eddie Vedder, a música retratou a apatia e as dificuldades de adequação social de jovens e adolescentes.

Rooster, Alice in Chains (1993)

Com letra inspirada nos traumas do pai do guitarrista Jerry Cantrell, que serviu na Guerra do Vietnã, Rooster é também uma canção sobre angústia e desesperança. Sentimentos que assolaram a geração expoente do grunge, oriundas de uma Seattle sem perspectivas. Impulsionou a carreira do Alice in Chains, que anos mais tarde perderia seu vocalista Layne Staley para as drogas.

Spoonman, Soundgarden (1994)

Chris Cornell, vocalista do Soundgarden, é um dos pilares do grunge e em Spoonman revelou sua boa veia também para a composição. Tratando de julgamento alheio e valores, com base na história de um músico de rua, a canção ajudou a impulsionar a carreira da banda e deu fôlego ao grunge, que poucos meses depois enfrentaria o suicídio de Kurt Cobain, do Nirvana.

Plush, Stone Temple Pilots (1993)

Inspirada na história de uma garota encontrada morta na Califórnia, notícia que Scott Weiland, o vocalista do grupo, leu em um jornal, Plush também faz as vezes de canção de amor fracassado. Lançada em 1993, a música alçou a banda ao sucesso, chegou ao primeiro lugar em importantes rádios de rock e ganhou em 1994 o Grammy de melhor canção de hard rock.

Hunger Strike, Temple Of The Dog (1990)

Formado em 1990, o Temple of the Dog nasceu como homenagem ao vocalista Andrew Wood, morto naquele ano. A banda juntava membros do Soundgarden e do Pearl Jam, como os vocalistas Eddie Vedder e Chris Cornell, além dos músicos Matt Cameron (bateria), Mike McCready (guitarra), Jeff Ament (baixista) e Stone Gossard (guitarrista). É considerado o supergrupo do gênero.

Babydoll, Hole (1991)

Música do disco de estreia da banda, Pretty on the Inside, que teve produção de Kim Gordon, baixista da banda Sonic Youth, Babydoll revelava uma vocalista de voz esganiçada e versos cantados com desespero. Era Courtney Love, que formara a banda pouco antes e mais tarde se tornaria a primeira-dama do grunge, ao casar com Kurt Cobain, vocalista do Nirvana.

Nearly Lost You, Screaming Trees (1992)

Formada em 1985, a banda correu por fora entre as que alcançaram fama global como expoentes do grunge. Mas leva em suas músicas as marcas do movimento: letras angustiadas, vocais rasgados e melodias com influência de rock alternativo, punk e hard rock à Led Zeppelin. Muito da força do grupo se devia ao vocal e à performance de Mark Lenegan. A banda acabou em 2000.

Touch Me, I’m Sick, Mudhoney (1988)

Lançada em 1988 pela gravadora SubPop, que mais tarde abrigaria os maiores nomes do grunge, com produção de Jack Endino, logo transformado em um dos símbolos do movimento, a música do Mudhoney é uma espécie de prenúncio da estética que caracterizava o gênero. Suja, pesada e distorcida, a canção fez relativo sucesso em rádios universitárias.

Shove, L7 (1990)

Liderada por Donita Sparks, a banda lançou em 1990 a canção Shove, que mais tarde entraria na coletânea Grunge Years, lançada pela gravadora SubPop. Era, junto com o Hole, de Courtney Love, a ascensão das mulheres à frente de bandas relevantes do grunge. O grupo não reailza shows desde 2000, embora nunca tenha anunciado oficialmente seu fim.

(Com agência EFE)