Clique e assine a partir de 9,90/mês

De Sinatra a AC/DC: as músicas que os astronautas ouviram no espaço

Desde 1965, a Nasa acorda a tripulação de suas naves com músicas que fazem referência ao espaço e aos astros; conheça algumas delas

Por Felipe Branco Cruz - Atualizado em 2 Jun 2020, 15h11 - Publicado em 2 Jun 2020, 10h29

A dupla de astronautas Bob Behnken e Doug Harley entrou para a história no último sábado, 30, com a missão de conduzir o primeiro lançamento privado espacial, feito pela SpaceX, em parceria com a Nasa. Do traje ao design da cápsula espacial, tudo foi pensado para demonstrar que os Estados Unidos voltaram a assumir a dianteira na exploração para além dos limites da Terra. Um curioso e simpático hábito, no entanto, foi mantido: a trilha sonora descolada e, quase sempre, com letras de duplo sentido que remetem ao espaço. Os experientes astronautas, que já viajaram para fora do planeta outras vezes, ouviram no caminho até o foguete a música Back in Black, do AC/DC, porque, afinal, eles estavam de volta a um ambiente familiar. Já em órbita, após dormirem por quase oito horas até atingirem a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), foram acordados pela Nasa com Planet Caravan, do Black Sabbath, que possui trechos referente as estrelas.

O uso de músicas para acordar os astronautas é antigo. A primeira vez que uma canção foi usada com esse objetivo foi na missão Gemini 6, em dezembro de 1965, com Hello Dolly, interpretada por Jack Jones. Nas missões Apollo, as faixas escolhidas começaram a ficar mais engraçadinhas. Na Apollo 10, os astronautas ouviram On a Clear Day, de Robert Goulet, The Best is Yet To Come, do Tony Bennett e It’s Nice To Go Trav’ling, do Frank Sinatra. Curiosamente, nenhuma música foi usada para acordar os astronautas na histórica viagem da Apollo 11, que levou o homem à Lua pela primeira vez. Eles eram acordados com chamadas da central de comando e notícias esportivas. Também não há registros das músicas tocadas na fatídica missão Apollo 13.

ASSINE VEJA

As consequências da imagem manchada do Brasil no exterior O isolamento do país aos olhos do mundo, o chefe do serviço paralelo de informação de Bolsonaro e mais. Leia nesta edição
Clique e Assine

Em uma metalinguagem saborosa, a música tema do filme 2001: Uma Odisseia no Espaço foi ouvida a bordo da nave Apollo 15 em 4 de agosto de 1971. Na Apollo 17, eles ouviram If Ever I Saw Your Face, da Roberta Flack, presumidamente momentos antes da espaçonave orbitar a face escura da Lua. Na mesma missão, quando os astronautas deixaram o satélite, eles ouviram Come on Baby Light My Fire, do The Doors.

Em pelo menos quatro ocasiões músicas brasileiras também foram tocadas fora da Terra. Uma delas ocorreu com a versão instrumental de Garota de Ipanema, executada a bordo da primeira estação espacial americana, a Skylab, em 21 de agosto de 1973. Em 1997, a voz de Beth Carvalho foi ouvida duas vezes em Marte. A primeira rolou durante o Carnaval. A música Coisinha do Pai foi usada para “acordar” o robô Sojourner, que fazia parte da missão Mars Pathfinder. Empolgada, a cantora compôs Samba de Marte, que novamente foi tocada por lá. Embora um robô não precise de música para ser despertado, as canções escolhidas pela Nasa para iniciar os trabalhos no planeta vermelho viraram uma sensação na época. A quarta vez que uma composição brasileira tocou em Marte foi em 2004, na missão Spirit, com a música Da Da Da, da banda capixaba Casaca, sugerido por um engenheiro brasileiro que trabalhava na agência e era fã da banda.

Continua após a publicidade

As brincadeiras não têm fim. Good Morning, Good Morning, dos Beatles, Get Up, Stand Up, do Bob Marley, I Can See Clearly Now, do Jimmy Cliff, Born To Be Wild, do Steppenwolf, e até os temas dos filmes Missão: Impossível e Guerra nas Estrelas também já fizeram parte da playlist espacial. A lista completa pode ser encontrada no site oficial da Nasa.

Lançada em 1977, a sonda Voyager 1, o primeiro objeto terráqueo a deixar o Sistema Solar, também carrega música do planeta, gravada em um disco de ouro. Menos divertida e destinada a uma inteligência extraterrestre, o alienígena que encontrar o objeto ouvirá músicas clássicas de Bach, Beethoven, Stravinsky, Mozart, e o rock and roll de Chuck Berry. Na ocasião, Carl Sagan, o pesquisador responsável pela produção do disco, tentou incluir Here Comes The Sun, dos Beatles, mas a gravadora EMI não autorizou e a música não entrou.

Publicidade