Clique e assine a partir de 9,90/mês

Com frio extremo nos EUA, ‘Frozen’ vira líder nas bilheterias

Animação recupera posto de filme mais assistido após seis semanas da estreia – algo incomum, mas nada indica que teve ajuda das temperaturas polares

Por Da Redação - 7 Jan 2014, 03h10

A animação dos estúdios Disney Frozen: Uma Aventura Congelante, que conta a história de princesas em um gélido reino nórdico, se tornou o campeão de arrecadação nas bilheterias de cinema dos Estados Unidos no último fim de semana, marcado pelo frio extremo em grande parte do país.

Leia também:

Fenômeno polar paralisa parte do Meio-Oeste dos EUA

Foi o suficiente, segundo o site especializado Box Office Mojo, para Frozen recuperar o título de filme mais assistido em cartaz, depois de seis semanas de sua estreia. Trata-se de um feito incomum nas salas de cinema, onde a tendência é que os filmes percam o interesse do público com o passar do tempo. Desde Avatar, em 2010, um filme não ocupava a primeira posição após seis semanas de seu lançamento.

Continua após a publicidade

Para o site, porém, é incerto associar a melhora no desempenho de Frozen à onda de frio. Em média, a arrecadação dos filmes em cartaz caiu 37% no final de semana, o primeiro de 2014 – um percentual muito próximo aos 36% de queda registrados na mesma semana do ano passado, quando não houve temperaturas tão baixas e tempestades de neve tão intensas.

Com ou sem ajuda do frio, a animação da Disney arrecadou mais 19,6 milhões de dólares, chegando à marca de 296,6 milhões, e superou o novo filme dos criadores da franquia Atividade Paranormal, a sequência Atividade Paranormal: Marcados pelo Mal, que estreou com uma arrecadação de 18,3 milhões de dólares.

O Hobbit: A Desolação de Smaug passou de líder nas bilheterias de fim de ano para o terceiro lugar, após arrecadar 15,7 milhões de dólares. Desde seu lançamento há um mês, a segunda parte da nova trilogia do diretor Peter Jackson baseada na obra de J.R.R. Tolkien conseguiu arrecadar 229,1 milhões de dólares nos EUA.

(Com agência EFE)

Publicidade