Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cantores reclamam de maus-tratos nas audições do ‘X Factor’

As páginas do programa nas redes sociais estão repletas de denúncias, que em sua maioria relatam falta de organização, filas e ausência de banheiros nas seletivas

As primeiras audições para o reality show X Factor Brasil, que aconteceram neste fim de semana no Itaquerão, se tornaram alvo de uma avalanche de denúncias e críticas nas redes sociais de aspirantes a cantores. Eles apontaram maus-tratos por parte da produção do reality show da Band.

Leia também:

Paulo Miklos completa quadro de jurados do ‘X Factor’

Di Ferrero e Alinne Rosa serão jurados do ‘X Factor Brasil’

Rick Bonadio – de novo ele – é 1º jurado do ‘X Factor Brasil’

Band anuncia Fernanda Paes Leme como apresentadora do reality ‘X Factor’

“Foi muito mal organizado, foi desumano. Eu cheguei às 6 horas, já que o portão abriria às 8 horas, e entrei depois de seis horas de fila. Foi um negócio muito mal feito, realmente nojento, passamos muito frio e depois quando o sol veio forte, não tinha um único lugar com sombra para a gente ficar, eu estou com o rosto ardendo”, afirmou o cantor Felipe Razzo.

Ele ainda argumenta que a percepção de várias pessoas era de que muitos dos candidatos presentes já haviam sido pré-selecionados para a atração. “Eu senti que a gente era só figurante, eles pareciam ter os candidatos pré-escolhidos. Tinha duas meninas no local, que antes de serem chamadas para as audições, já haviam sido entrevistadas umas seis vezes. Foi como se já tivessem seus escolhidos, mas fizeram a chamada geral para mostrar que havia muitos participantes nas gravações.”

A página oficial do programa está repleta de reclamações e denúncias, que em sua maioria relatam maus-tratos, falta de organização, filas demoradas, além do problema mais citado nas redes: falta de banheiros.

O programa será apresentado por Fernanda Paes Leme e terá como jurados o produtor Rick Bonadio, os cantores Di Ferreiro e Alinne Rosa e o músico Paulo Miklos. A atração tem estreia marcada para 22 de agosto.

(Da redação com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Gente vocês tem que fazer uma manifestação para o poder Judiciário do Brasil embargar esse Programa e obriga-los a refazer outras audições regionais , para que vocês possam ter o direito de participar , pois uma desculpa não irá desfazer a humilhação que passaram , uma desculpa não irá trazer de volta o dinheiro que gastaram , uma desculpa não ira trazer aos familiares que foram assaltado a dignidade de volta , vocês tem que se unir para que a justiça cancele essas audiçoes e refaça NOVAS AUDIÇOES REGIONAIS E QUE SEJA PESSOAS QUALIFICADA PARA AVALIAREM VOCÊS ! vOCÊS TEM DIREITO , A BAND , TNT E A PRODUção são obrigada a refazer novas audiçoes ! Corram atrás disso! Esse é o caminho! Novas Audiçoes e agora regional , para esse programa ainda , não para o proximo e sim para esse ! se unam!

    Curtir

  2. Liz Barros de Souza

    CARTA DE REPÚDIO ENDEREÇADA À BAND E À PRODUTORA DO X FACTOR BRASIL PELA DESUMANIDADE COM QUE OS PARTICIPANTES E FAMILIARES FORAM TRATADOS NA SELETIVA DE AUDIÇÕES QUE ACONTECERAM NA ARENA CORINTHIANS NO ÚLTIMO SÁBADO, DIA 09/06. CONVIDO ÀQUELES QUE SE SENTIRAM HUMILHADOS E DESRESPEITADOS EM SEUS DIREITOS A NÃO SE CALAREM, MAS A REGISTRAREM SUAS OBSERVAÇÕES À RESPEITO DESSA MANIFESTAÇÃO DE DESRESPEITO AO SER HUMANO. NÃO SOMOS LIXO, NÃO SOMOS GADO.
    “Gostaria de registrar aqui minha indignação no tratamento recebido, não só por mim, mas por todos os participantes convocados e seus acompanhantes nas primeiras audições do programa X Factor.
    Independentemente dos resultados, a falta de organização e de respeito para com o ser humano neste evento que aconteceu nas dependências externas do estádio Arena Corinthians, comprometeram em muito o desempenho dos participantes, tornando qualquer avaliação, injusta.
    Primeiramente, a convocação que recebemos incentivava-nos a levar quantos acompanhantes quiséssemos e, no caso de pessoas que vieram de outras cidades e Estados e dos participantes menores de idade, isso era imprescindível. Mas, qual não foi nossa decepção quando fomos informados no local que cantores solistas maiores de idade não poderiam entrar com seus acompanhantes, não importando o quanto essas pessoas tenham se sacrificado para nos acompanhar.
    Passei, juntamente com milhares de pessoas, 12 horas exposta ao frio castigante da manhã e ao sol castigante da tarde, tendo como única providência 8 banheiros químicos para cerca de 10.000 pessoas utilizarem (no mínimo). A fila de espera para utilizar os banheiros, que em poucos minutos ficaram imundos, era de 1 hora em média.
    Fiquei com meus pais, de 63 e 68 anos, 7 horas de pé. E depois que entrei no que chamaram de bolsão, uma extensão do próprio estacionamento frente ao estádio, foram mais 5 horas com banheiros químicos imundos e lotados. Neste momento, toda a comida e o líquido que as pessoas levaram seguindo as recomendações da convocação, foram insuficientes para as tantas horas em que esperamos para um minuto de audição. Ao adentrarmos no tal bolsão, estávamos desidratados e doloridos. Não encontrei água no local. Percorri todo o bolsão perguntando aos demais participantes onde havia água, e eles me responderam que a água já tinha sido distribuída. eu implorei a uma das pessoas da produção por água, que era o mínimo que eles poderiam fornecer às pessoas naquelas condições já que não podíamos sair para comprar, numa espécie de confinamento. Ela me entregou dois copos de água. Depois disso, surgiram caixas de copos de água mineral de todos os cantos, que eram colocadas no chão para nos servirmos.
    Nossos parentes, que incluíam pessoas de todas as idades, ficaram do lado de fora, sem receber essa água. Se quisessem que comprassem, mesmo tendo trazido de casa, o que foi insuficiente. Ou seja, esses acompanhantes, que representavam praticamente dois terços das milhares de pessoas que compareceram à Arena, além de terem sido impedidos de entrar, serviram para fazer número para as câmeras que nos sobrevoavam.
    Aguardando a chamada de nossas senhas para sermos ouvidos na audição, ficamos extremamente extenuados, pessoas ficaram sem voz pela exposição ao clima e pela demora, gestantes passaram mal e senhas foram distribuídas fora da ordem de chegada pela produção do evento, provocando a revolta de quem estava o dia todo na fila.
    Fiquei 5 horas neste bolsão, sentada no asfalto, que era o único lugar disponível para quem foi orientado a se arrumar com capricho para a audição.
    Muitas pessoas ficaram exauridas deitadas no asfalto, com dores de cabeça.
    Um pai que estava acompanhando a filha de 16 anos foi impedido de levar a outra filha de 12 anos para dentro do bolsão, pois somente um acompanhante por menor poderia entrar. Ele teve que deixar a filha de 12 anos no metrô para voltar sozinha para casa, para que a de 16 anos não perdesse a audição.
    E para encerrar a desumanidade, depois das audições não permitiram que saíssemos pelo portão em que nossos acompanhantes estavam nos esperando, nos forçando a dar a volta no estádio e sairmos por uma escadaria erma e sem nenhuma segurança. Eu fiquei com problemas de circulação na perna e levei 25 minutos para chegar no portão principal para encontrar meus pais, pois estava mancando e com muita dor.
    Me senti como se fizesse parte de um gado, confinado e marcado com um carimbo.
    E o que mais me entristeceu, foi ver a forma como pessoas de diversas partes do país foram recebidas com tamanha desumanidade depois de terem viajado horas, dias para tentarem uma oportunidade de serem ouvidas por um minuto.
    Isso, para nós, pois falo em nome de meus familiares também, só mostrou o despreparo da Bandeirantes em realizar um evento de tal monta. Essa mesma emissora que sempre respeitei e admirei tanto pela sua seriedade jornalística; por considerá-la diferente das demais; deu a milhares de brasileiros,o mesmo tratamento que observamos nos corredores de hospitais públicos. denunciados por essa mesma emissora.
    Sequer houve o bom senso de fazer seletivas regionais, pois, ao que nos parece, o mais importante era reunir o maior número de pessoas possível num espaço limitado para demonstrar a “grandeza” do evento, mesmo que para isso, fosse sacrificada a nobreza do caráter.
    Não houve a sensibilidade de instalar essa multidão no interior do estádio para que as pessoas tivessem onde sentar e um banheiro descente para utilizar.
    Somente quando a situação ficou insustentável por qualquer ser humano e que uma revolta poderia se instalar, é que um banheiro das dependências do estádio foi liberado somente para aqueles que estivessem entre os 100 próximos a serem ouvidos na audição.
    Foi uma das piores experiências que já passei na vida e espero nunca mais repetí-la. Pois não é verdadeira.
    É decepcionante o despreparo do qual fomos vítimas e o tratamento de gado que recebemos.
    Somos sonhadores, somos brasileiros e respeito não é mérito, é direito. Independentemente dos resultados, cada pessoa e acompanhante que esteve presente nesta seletiva é merecedor de toda honra, por tudo a que fomos sujeitos passar.
    POr fim, não pretendo acompanhar o programa pela TV, o que estava disposta a fazer, tendo sido reprovada ou não. Mas por considerar que o mesmo não é um programa sério, que dá oportunidade para as pessoas tentarem mostrar seu talento, como imaginei que fosse, mas apenas a busca pela audiência, assim como os políticos que hoje no país não buscam trabalhar pelo bem comum, mas apenas, o poder.
    Só rogo e torço para que outras pessoas não tenham que passar pelo que nós, participantes desta primeira edição, passamos.
    Agradecida pela atenção.”

    Curtir