Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Autora de ‘Divergente’ usou livro como terapia

Ao site da revista 'People' a americana afirmou que sofre de ansiedade desde muito jovem e escrever sobre uma destemida heroína a ajudou

A escritora Veronica Roth encarou a escrita de sua trilogia distópica Divergente quase como terapia, segundo o site da revista People. Em entrevista à publicação, a americana afirmou que sofre de ansiedade desde muito jovem e escrever sobre uma destemida heroína de 16 anos, Tris, a ajudou a lidar com o problema.

Leia também:

Divulgado primeiro trailer do filme ‘Divergente’

Estrela de ‘Divergente’ diz que ‘Crepúsculo’ é mau exemplo

Diretor de ‘Red’ assume sequência de ‘Divergente’

“Eu a admiro em certos aspectos porque ela não hesita em tomar uma atitude quando sente que está fazendo a coisa certa”, disse. Ela também explicou como a ansiedade se torna um problema sério. “A ansiedade cria um um tipo de prisão em você mesmo. Ela te impede de fazer coisas que você faria normalmente porque você tem medo demais.”

A escritora afirmou que continua firme em sua terapia, ainda mais para aprender a lidar com a fama, que a atingiu em cheio com o sucesso de seus livros e a estreia próxima da primeira adaptação para o cinema de suas histórias. Nos Estados Unidos, o filme, estrelado por Shailene Woodley, estreia nesta sexta-feira. No Brasil, o longa chega aos cinemas em abril.