Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Anitta identifica ladrão em meio a multidão de bloco de carnaval no Rio

Cantora percebeu tentativa de roubo no Bloco das Poderosas e chamou a polícia; desfile aconteceu no mesmo local onde houve confusão na terça passada

Palco de mais 24 blocos de carnaval neste sábado, a cidade do Rio de Janeiro amanheceu com o som e a festa do Bloco das Poderosas, que começou às nove horas da manhã, liderado pela cantora Anitta, e reuniu 400 000 foliões no centro da capital carioca. A festa, porém, não ocorreu livre de problemas. Um homem suspeito de tentar roubar um celular em meio a multidão foi identificado pela cantora do alto do trio elétrico. “Alô, Polícia. Tem um ladrãozinho aqui no meio”, disse Anitta no microfone, tentando coibir a ação. “O último que veio roubar aqui se lascou. Nasci pobre, estou aqui ralando. Ninguém precisa tirar nada de ninguém.”

O susposto criminoso foi identificado pelos seguranças do evento e, segundo o jornal Extra, foi encaminhado para o 5º Distrito Policial, localizado no bairro da Lapa. O bloco de Anitta desfilou sob o clima de expectativa depois do tumulto ocorrido no bloco da cantora Ludmilla, na terça-feira de carnaval, no mesmo local onde aconteceu o desfile das Poderosas. Um conflito entre foliões e policiais militares levaram mais de 200 pessoas para os postos de saúde e hospitais próximos, de um total estimado de 1 milhão de participantes do bloco. Para tentar dispersar a multidão, policiais jogaram bombas de efeito moral, o que causou a intoxicação e queimadura em muitas pessoas.

Veja também

Também no centro do Rio, a partir das 21h15 será realizado no Sambódromo o Desfile das Escolas de Samba Campeãs, com a festa sendo encerrada na madrugada pela campeã deste ano, Mangueira, por volta das 2h40, com o enredo “História para ninar gente grande”, baseado nas páginas ausentes da História do Brasil que homenageia os verdadeiros heróis brasileiros que foram vencidos por quem contou a história depois.

“Ao dizer que o Brasil foi descoberto e não dominado e saqueado; ao dar contorno heroico aos feitos que, na realidade, roubaram o protagonismo do povo brasileiro”, ensina o enredo, que entre outras mulheres homenageia a vereadora Marielle Franco, assassinada há um ano no Rio de Janeiro e cujo crime ainda não foi solucionado.

(com Estadão Conteúdo)