Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Adam Sandler fará quatro filmes para o Netflix

O serviço de streaming assinou contrato com a produtora do ator, a Happy Madison, e o primeiro longa deve ser disponibilizado para os assinantes já em 2015

Apenas dois dias depois de anunciar a sua entrada na indústria do cinema com a continuação do longa O Tigre e o Dragão (2000), de Ang Lee, o Netflix divulga uma segunda — e significativa — investida no setor. O serviço de streaming assinou contrato para quatro filmes com Adam Sandler, de comédias bobas e bem-sucedidas como Cada um Tem a Gêmea que Merece (2011). Sandler, aliás, lançou mão do besteirol ao comentar o acordo entre a sua produtora, a Happy Madison, e o gigante do streaming. “Topei porque Netflix rima com ‘wet chicks’ (garotas molhadas)“, disse à revista Variety.

Os filmes, que serão lançados a partir de 2015, serão disponibilizados com exclusividade para os assinantes do serviço. Segundo o Netflix, Sandler foi escolhido por ser um dos poucos atores de penetração global. Seus filmes aparecem constantemente na lista dos mais vistos pelos assinantes dos Estados Unidos e dos demais países onde o serviço atua.

O currículo de Sandler se divide entre filmes massacrados pela crítica, como Gente Grande (2010), e outros bem recebidos pelos críticos, caso de Tá Rindo do Quê (2009) e Reine sobre Mim (2007), além dos futuros lançamentos Homens, Mulheres e Filhos e The Cobbler, que estrearam no Festival de Toronto este ano. Ao todo, seus filmes já arrecadaram mais de 3,9 bilhões de dólares em bilheteria ao redor do mundo.

Leia também:

Depois de séries, Netflix se lança no cinema

Ninguém liga mais para spoiler, segundo o Netflix

Adam Sandler é o ator menos lucrativo dos últimos anos

Expansão — Duas semanas após entrar em seis países europeus, o Netflix atingiu 100 000 assinantes na França, de acordo com informações do jornal local Le Figaro. Segundo a publicação, o serviço de streaming deverá ultrapassar facilmente seu principal concorrente no país, o CanalPlay, distribuído pela emissora de TV paga Canal Plus, que conseguiu cerca de 520 000 assinaturas em três anos.

No evento de lançamento, ocorrido em meados de setembro em Paris, o Netflix fechou um contrato com a empresa de telecomunicação francesa Bouygues Telecom e planeja firmar parcerias com outros gigantes do ramo nos próximos meses, com o intuito de atingir cerca de um terço das residências do país. O mesmo deve ocorrer nos outros territórios europeus que abraçaram recentemente o serviço de streaming, entre eles Alemanha, Áustria, Bélgica e Luxemburgo.