Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘A Vida Invisível’ é escolhido para representar o Brasil no Oscar

Longa do diretor Karim Aïnouz foi o selecionado dentre 12 produções nacionais para disputar indicação

O filme A Vida Invisível, do diretor Karim Aïnouz, foi o selecionado para representar o Brasil na busca por uma indicação na categoria de melhor filme em língua estrangeira no Oscar 2020. A escolha foi feita nesta terça-feira, 27, por uma comissão formada por Anna Muylaert, David Shürmann, Zelito Viana, Sara Silveira, Vania Catani, Walter Carvalho, Mikael de Albuquerque, Amir Labaki e Ilda Santiago.

A Vida Invisível disputava a indicação com outras onze produções nacionais, incluindo Bacurau, de Kleber Mendonça Filho, Sócrates, de Alex Moratto, e Simonal, de Leonardo Domingues.

O longa é baseado no livro de Martha Batalha e narra a história de duas irmãs: a jovem Guida (Julia Stockler), autoconfiante, desinibida e que sonha com aventuras amorosas; e a insegura Eurídice (Carol Duarte), que deseja estudar piano num conservatório em Viena. No último Festival de Cannes, a produção brasileira recebeu o prêmio da mostra paralela Um Certo Olhar (Un Certain Regard).

Os indicados à premiação serão anunciados pela Academia de Hollywood no dia 13 de janeiro de 2020. Já a cerimônia acontece no dia 9 de fevereiro, em Los Angeles. 

Histórico

O Brasil disputou a estatueta de melhor filme em língua estrangeira pela primeira vez em 1963, com O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte. Depois disso, o país foi indicado outras três vezes: com O Quatrilho, de Fábio Barreto (1996), O Que É Isso, Companheiro?, de Bruno Barreto (1998), e Central do Brasil, de Walter Salles (1999) – a última até o momento. No entanto, os longas não venceram em nenhuma das ocasiões.

As últimas produções que representaram o país na briga por uma indicação ao troféu foram O Grande Circo Místico (2019), de Cacá Diegues, Bingo: O Rei das Manhãs (2018), de Daniel Rezende, e Pequeno Segredo (2017), de David Schurmann.