Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mercadante: ‘Custo maior garante segurança do Enem’

Ministro da Educação afirma estar seguro de que o exame vai ser realizado sem transtornos. Esta edição da prova custará cerca de 262 milhões de reais

Por Gabriel Castro - 2 nov 2012, 12h37

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta sexta-feira estar seguro de que a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste fim de semana, acontecerá sem problemas. Segundo ele, os gastos de aproximadamente 262 milhões de reais, 10% a mais do que na edição anterior, garantirão a confiabilidade da prova. “Os candidatos podem ficar muito tranquilos. Nós temos muita segurança de que eles farão a prova nas melhores condições”, disse o ministro, em entrevista coletiva.

Orientações para a prova:

Seis formas de utilizar sua nota do Enem

O que fazer caso ocorram problemas de organização

Continua após a publicidade

O que pode e o que não pode no exame em 9 regras

Acalmar-se, organizar-se, alimentar-se: 3 regras do Enem

O valor total da prova corresponde a um gasto de 46 reais por participante. Mercadante justificou que a melhoria no sistema de segurança compensa a elevação de custos: “Para nós, o prejuízo de não fazer bem feito é maior”. Para evitar a repetição de problemas que atormentaram os candidatos em edições recentes do exame (confira na tabela as falhas do exame), o ministério triplicou o número daquilo que chama de “pontos de atenção” (desta vez, foram 3.400) e reforçou a segurança na impressão da prova.

Os malotes com os exames já foram distribuídos para os mais de 15.000 locais de prova. Até agora, não houve incidentes, de acordo com o ministério. Este ano, quase um quarto dos malotes contam com lacres eletrônicos.

Continua após a publicidade

Além de segurança, o MEC aumentou em 25% o tamanho da equipe – vão participar da aplicação 539.919 pessoas, entre coordenadores, fiscais e pessoal de apoio. No ano passado, esse número girava em torno de 435.000. De acordo com o ministério, a preparação dos profissionais teve início em outubro. Ainda assim, a reportagem verificou que há fiscais que não fizeram o treinamento e foram convocados há poucos dias. Uma professora de educação básica na zona leste de São Paulo vai participar pela primeira vez da aplicação. Ela foi convidada na segunda-feira. “Preferia ter um cursinho antes, nunca vi uma prova do Enem, mas acho que na hora a gente se vira”, disse ela, que pediu para não se identificar. Ela vai ganhar R$ 150 por dois dias de trabalho. O MEC afirma que ninguém mais está sendo convocado, mas pode haver casos excepcionais.

Números – Esta edição do Enem tem 5,7 milhões de inscritos. Desse total, 31% estão no Nordeste e 37% no Sudeste. Os maiores de 30 anos são 14% dos candidatos. O Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável por organizar a prova, registrou ainda a inscrição de 133 idosos. Neste sábado, mais de 67.000 alunos começarão as provas após o pôr do sol; são adventistas e judeus.

Cerca de 90% das vagas em universidades federais são preenchidas levando em conta a nota do Enem como critério de seleção – parcial ou totalmente. Neste ano, em razão da lei das cotas, 12,5% das vagas serão destinadas a alunos oriundos de escolas públicas. Em quatro anos, esse percentual alcançará os 50%.

Nos dois dias, as provas começam às 13h no horário de Brasília. A recomendação do Inep é de que os candidatos cheguem ao local da prova com uma hora de antecedência, levando um documento com foto e o cartão de inscrição. O gabarito das provas deve ser divulgado em 7 de dezembro; o resultado, em 28 de dezembro.

Continua após a publicidade

Saiba mais sobre o Enem:

Confira como as universidades utilizam a nota do Enem

Como é calculada a nota do Enem

Nove temas da atualidade que podem cair na prova

Continua após a publicidade

Raio-x: os conteúdos mais cobrados nos exames anteriores

Microcurso de redação do Enem:

domínio do idioma

adequação ao tema proposto

Continua após a publicidade

como argumentar

como apresentar soluções

redações nota 1000 comentadas

Conteúdos para estudar em vídeo:

Continua após a publicidade

Orientações gerais para uma boa prova

História

Geografia

Humanidades

Continua após a publicidade

Inglês

Português

Matemática

Física

Continua após a publicidade

Química

Biologia

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade