Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais um dia na fila: universitários enfrentam o caos para obter transferência

No terceiro dia de tumulto para recuperar históricos da UniverCidade e da Gama Filho, Ministério da Educação anuncia que estudantes podem entregar apenas documentos pessoais para iniciar transferência assistida para Estácio de Sá, Veiga de Almeida e Fatec

Filas intermináveis, calor, falta de informação e incerteza sobre o próprio futuro. Pelo terceiro dia seguido, ex-alunos do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) e da Universidade Gama Filho (UGF), ambas controladas pelo grupo Galileo, enfrentaram nesta quinta-feira um cenário caótico na Rua Gonçalves Dias, no Centro do Rio de Janeiro. No local, uma antiga sede da UniverCidade, centenas de estudantes formaram filas que se prolongavam por mais de um quarteirão até a esquina da Avenida Rio Branco para tentar obter documentos como histórico escolar, diplomas e certificado de conclusão de curso – como determinado por um cronograma da Galileo. A entrega começou na terça-feira e tem de ser feita, por ordem judicial, até esta sexta-feira.

Não havia funcionários da Galileo na Rua Gonçalves Dias para prestar informações. Senhas foram distribuídas de maneira aleatória e era preciso estar perto da entrega para conseguir ouvir a convocação e entrar no prédio para retirar os documentos. Tudo isso ocorria em meio a muita gritaria, confusão e discussão.

A estudante de direito Aline Queiroz, 22 anos, criticou a falta de organização para a entrega dos documentos. Ela afirmou que colegas de classe receberam o histórico escolar com informações erradas, com disciplinas que não foram cursadas. “Preciso das ementas, do histórico escolar, e da documentação original do ensino médio que ainda está com a universidade. Faltei ao trabalho para estar aqui, mas não tenho opção, porque preciso dos documentos”, disse a estudante.

Alguns alunos começaram o dia na fila. Amanda Maria da Silva Maciel, 34 anos, chegou às 5h e ainda aguardava para ser atendida por volta de 11h. Ela tentava receber os documentos acadêmicos do curso de direito, encerrado no sexto período pelo descredenciamento da UniverCidade e da UGF. “É humilhante ter de passar por isso, porque paguei uma mensalidade de 380 reais”, criticou.

Iniciar uma batalha jurídica era uma opção cogitada por alguns dos prejudicados. De acordo com a estudante Carolina Brasileiro Cristovão, 26 anos, se não entregarem os documentos até sexta-feira, ela vai entrar com um pedido de mandado de segurança no Judiciário para que a instituição seja obrigada a fornecê-los. Ela se formou em direito no primeiro semestre de 2013, fez colação de grau no segundo semestre e até hoje não tem os documentos de conclusão. “Foram cinco anos de esforço para terminar desse jeito. Se não resolverem isso hoje, vou entrar com um pedido de mandado de segurança na Justiça”, criticou a ex-aluna da UniverCidade.

A rua lotada atrapalha o comércio da região. A lojista Roberlina Vieira, 26 anos, que gerencia uma loja de roupas, disse que a confusão afastou consumidores. “Nossas vendas caíram muito. Hoje era pra vender 7.000 reais por ser véspera de Carnaval e não venderemos nem 3.000 reais”, criticou.

Leia ainda: Tribunal de Justiça do Rio multa dona de Gama Filho e Centro Universitário da Cidade em 10 mil reais

MEC descredencia duas universidades do Rio de Janeiro

Pelo processo de transferência assistida conduzido pelo Ministério da Educação, as universidades Estácio de Sá, Veiga de Almeida e a Faculdade de Tecnologia Senac Rio (Fatec), que formam o Consórcio Rio Universitário, foram escolhidas para receber os estudantes.

Diante das notícias de confusão na entrega dos documentos, somente no começo da tarde desta quinta-feira o Ministério da Educação (MEC) se pronunciou e disse que a transferência assistida, para essas universidades, poderá ser iniciada mesmo que os documentos acadêmicos não sejam entregues. “Basta manifestar interesse ao apresentar documentação pessoal, de modo a garantir o pleno aproveitamento do primeiro semestre letivo de 2014. As instituições selecionadas no processo de transferência assistida dispõem de informações suficientes para iniciar o procedimento de matrícula, independentemente da apresentação de histórico escolar”, informou o MEC em comunicado.

Depois desta sexta-feira – prazo final imposto pela 4ª Vara Empresarial antes que uma multa de 100.000 reais seja cobrada para cada dia de atraso da Galileo – todo o acervo acadêmico da UniverCidade e da UGF será transferido para Estácio de Sá, Veiga de Almeida e Fatec, de acordo com o MEC. “Essas instituições assumirão a responsabilidade pela guarda e emissão de documentos acadêmicos (históricos escolares, certificados de conclusão e segunda via de diplomas, dentre outros), também, dos alunos que já concluíram seus estudos”, informou a pasta.

Leia também:

UniverCidade descumpre prazo de entrega de documentos e causa tumulto

Grupo Galileo começa a entregar documentação para alunos da UniverCidade