Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ensino médio brasileiro era ruim. E está pior

Só um em cada dez alunos encerra ciclo sabendo o que deveria em matemática — número inferior ao medido em 2009. Em português, a situação também não é boa, revela relatório da ONG Todos Pela Educação

O ensino médio reúne atualmente alguns dos piores indicadores da educação brasileira. É nessa etapa da educação básica que se concentram as maiores taxas de abandono escolar e também as notas mais baixas no Ideb, índice que mede a qualidade de nossas escolas. E o pior: a situação não está melhorando, como comprova relatório divulgado nesta quarta-feira pela ONG Todos Pela Educação. Os dados, compilados a partir de resultados de 2011 do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e da Prova Brasil, revelam que apenas 10,3% dos alunos brasileiros terminam o ensino médio sabendo o que deveriam em matemática – ou seja, quase 90% dos alunos não aprendem o esperado. É um retrocesso em relação à medição anterior, realiza em 2009, quando 11% dos estudantes do 3º ano sabiam o esperado na disciplina. Em 2003, esse índice era de 12,8%. Os resultados ficaram abaixo da meta estabelecida pela ONG para o ano de 2011 e colocam em xeque o objetivo traçado para 2022, ano do bicentenário da Independência: ao menos 70% dos estudantes com conhecimentos adequados a seu estágio escolar.

Leia também:

Brasil tem 3,6 milhões de crianças e jovens fora da escola

Ensino médio precisa entrar no século XXI

A lição da pequena Novo Horizonte: educação pública de qualidade para todos

Em língua portuguesa, não houve retrocesso em relação 2009. Contudo, praticamente não houve avanços, e a cifra ficou longe da meta. Em 2009, 28,9% dos estudantes demonstraram dominar os conteúdos esperados. Em 2011, o número chegou a 29,2%. (continue a ler a reportagem)

A evolução do aprendizado nas escolas brasileiras
2003 2005 2007 2009 2011
Português(%) 25,6 % 26,6 % 27,9 % 34,2 % 40%
Matemática(%) 15,1 % 18,7 % 23,7 % 32,6 % 36,6 %

Variação do porcentual de alunos com aprendizado adequado (%)

2003 2005 2007 2009 2011 Português(%) 20,1% 19,5% 20,5% 26,3% 27% Matemática(%) 14,7% 13% 14,3% 14,8% 16,9%

2003 2005 2007 2009 2011 Português(%) 26,9% 22,6% 24,5% 28,9% 29,2% Matemática(%) 12,8% 10,9% 9,8% 11% 10,3%

Os maus resultados não são exclusividade do ensino médio. No 9º ano do ciclo fundamental, apenas 16,9% dos alunos demonstraram dominar os conhecimentos de matemática. Apesar de ainda distantes do ideal, houve progresso em relação a 2009, quando esse índice era de 14,8%. Já em língua portuguesa, 27% dos alunos alcançaram desempenho adequado, representando um ligeiro aumento em relação à medição anterior, 26,3%.

É nos anos iniciais do ensino fundamental que o desempenho do Brasil apresenta sinais menos preocupantes, com evolução significativa. Em matemática, 36,3% dos alunos do 5º ano registraram aprendizado adequado em 2011, ante 32,6% em 2009. Já em língua portuguesa, o índice foi de 40%, frente a 32,2% do indicador anterior.

O relatório do Todos Pela Educação evidencia a fragilidade da rede pública de ensino. Quando analisadas separadamente, as escolas mantidas por governos das três esferas apresentam índices em média 5 pontos porcentuais abaixo da média nacional, que considera as redes pública e a privada. Nas escolas públicas do Alagoas, por exemplo, apenas 1,4% dos estudantes do 3º ano do ensino médio sabem o que deveriam saber em matemática. Isso significa que de cada 100 alunos, 98 não aprendem o esperado.

Confira aqui a situação do aprendizado em todos os municípios do Brasil

Leia também:

Ensino médio brasileiro precisa entrar no século XXI

A lição da pequena Novo Horizonte: educação pública de qualidade para todos

Ideb cai em nove estados no ensino médio

37% das cidades não atingem metas do Ideb 2011