Clique e assine a partir de 9,90/mês

Enem cancelado é disponibilizado na internet

Por Da Redação - 1 out 2009, 20h12

O Ministério da Educação prometeu divulgar na internet, a partir das 20h desta quinta-feira, a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que vazou, motivando o cancelamento da realização.

A prova, que seria disponibilizada no site do Ministério da Educação, pode ser usada em novos “simulados” antes do exame verdadeiro, sugeriu o ministro da Educação, Fernando Haddad, em rede nacional de rádio e televisão às 20h, ao confirmar o adiamento do Enem.

Haddad afirmou que a nova data da prova será divulgada “no momento oporturno” e deu uma sugestão aos alunos. “Enquanto isso, convido os estudantes a aproveitar o tempo e aprimorar seus estudos”, disse.

Leia a íntegra do pronunciamento:

Continua após a publicidade

“Nas primeiras horas da manhã de hoje fomos informados por um jornal de grande circulação que uma prova impressa do Enem havia sido furtada e oferecida para publicação naquele jornal.

Da descrição da jornalista que teve acesso ao material, pudemos identificar fortes indícios de que o material era autêntico.

Com base nisso, em nome da credibilidade e segurança que o Enem possui, decidimos inutilizar os itens da prova e adiar a sua realização, até que uma nova versão possa ser impressa com condições reforçadas de segurança.

Felizmente, a descoberta do furto se deu antes da utilização da prova, o que nos permitiu adiá-la, sem os transtornos que a sua anulação, após a realização do exame, acarretaria.

Continua após a publicidade

Os estudantes inscritos no Enem 2009 serão comunicados oportunamente pelos meios habituais da nova data e do local das provas.

Enquanto isso, convido os estudantes a aproveitar o tempo e aprimorar seus estudos. O Ministério da Educação e o Inep colocaram em seus portais eletrônicos a prova descartada para uso em simulados.

Estamos trabalhando para minimizar os efeitos do atraso. O Ministério da Educação já tomou providências no sentido de apurar eventuais responsabilidades criminais relativas ao vazamento, requerendo a abertura de inquérito pela Polícia Federal para punição dos responsáveis.”

Publicidade