Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Primeiro semestre foi perdido para indústria, diz CNI

Queda de 3,4% no acumulado do ano na comparação com o mesmo período de 2011 é preocupante, diz órgão que representa o setor

Por Da Redação
5 jul 2012, 12h00

Para CNI, recuperação da economia brasileira pode demorar

Os dados de produção industrial divulgados nessa semana são desanimadores para a indústria. O gerente executivo de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, disse nesta quinta-feira que o primeiro semestre foi perdido para o setor industrial, conforme mostram os dados apurados até maio pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Foi um semestre negativo, mesmo com dados até maio”, afirmou. Para ele, existe o risco de a recuperação da economia brasileira demorar mais para se concretizar.

Leia também:

Venda de veículos sobe 22,9% em junho, segundo Anfavea

Castelo Branco disse ainda que o número de maio confirmou que, no segundo trimestre, a atividade industrial continuou se enfraquecendo. “A atividade tanto do lado de vendas como produção foi menor do que em abril.”

Continua após a publicidade

De acordo com a CNI, 13 dos 19 setores da indústria pesquisados registraram queda no nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) em maio na comparação com igual mês de 2011. O Nuci recuou para 80,7% em maio ante 81,0% em abril.

Segundo Castelo Branco, a queda no uso da capacidade é um padrão claro ao longo desse ano. “A indústria está trabalhando com ociosidade crescente, corroborando os dados da sondagem industrial que identifica nível de estoque além do desejado desde meados do ano passado”, afirmou.

Leia mais:

Produção industrial cai 0,9% em maio ante abril

Continua após a publicidade

Analistas preveem indústria fraca também no segundo semestre

O emprego praticamente manteve-se estável, segundo o economista, e o “vigor” de 2011 no mercado de trabalho deu lugar a uma acomodação. A massa salarial segue em alta pelo fator inercial, segundo a CNI, pois o emprego ainda não tem queda. O dado também reflete os dissídios que ainda incorporam ganho real relativamente alto.

(Com Agência Estado)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.