Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OMC confirma subsídio de até US$ 6 bi dos EUA à Boeing

Por Andréia Lago

Bruxelas – A União Europeia declarou vitória hoje na longa disputa que mantinha com os Estados Unidos na Organização Mundial do Comércio (OMC) em torno dos subsídios americanos à fabricante de aeronaves Boeing, após a OMC ter publicado um relatório mantendo a decisão anterior de um painel da organização que declarava que a companhia dos EUA recebeu bilhões de dólares em subsídios ilegais do governo. Nos Estados Unidos, a Representação Comercial (USTR) disse que não houve derrota e que irá cumprir a decisão.

A OMC manteve hoje a decisão de 2010 em que avaliou que a Boeing recebeu bilhões de dólares em subsídios ilegais do governo dos Estados Unidos e de agências federais. A organização avalia que tanto os EUA quanto os países da União Europeia deram ajuda financeira às suas fabricantes de aeronaves e violaram as regras de comércio global. Em maio do ano passado, em ação movida pelos EUA, a OMC decidiu que os governos da UE também concederam bilhões de dólares em ajuda ilegal à Airbus.

No relatório divulgado hoje, a OMC afirma que a Boeing recebeu de US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões em subsídios ilegais do governo americano entre 1989 e 2006, diz a Comissão Europeia em comunicado no qual comenta a decisão. A OMC também afirmou que a Boeing deve receber US$ 3,1 bilhões em subsídios a partir de 2006 até 2024. O montante de ajuda ilegal concedida à Airbus, entretanto, supera a ajuda concedida à Boeing, segundo a OMC. Um julgamento anterior sobre a disputa comercial entre os dois países apresentada pelos EUA apurou que a Airbus recebeu US$ 18 bilhões em ajuda ilegal na forma de subsídios.

“É verdade que a Boeing certamente aproveitou os benefícios do governo por um longo tempo”, disse o diretor do Centro Europeu para Política Econômica Internacional, Fredrik Erixon, em Bruxelas. “Mas, ao mesmo tempo, não se pode comparar a ajuda para a Airbus, que foi criada por decreto do governo”, afirmou. A Comissão Europeia e a Airbus, entretanto, argumentaram que a OMC afirmou que o principal tipo de ajuda à Airbus – financiamentos a juros baixos pelos governos nacionais – é legal sob determinadas circunstâncias. A comissária da UE para o comércio, Karel De Gucht, disse que a União Europeia está pronta para iniciar “discussões incondicionais” com os EUA sobre a disputa em torno dos subsídios.

Após a decisão de hoje, o representante comercial dos EUA, Ron Kirk, disse que o apoio americano à Boeing não foi uma derrota, uma vez que ficou abaixo do volume de financiamento concedido pelos governos europeus à concorrente Airbus. “Os EUA estão prontos para enfrentar todas as decisões da OMC, e esperamos que a União Europeia faça o mesmo”, disse Kirk. As informações são da Dow Jones.