Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Taylor Swift faz Apple recuar: ‘Vamos pagar os artistas’

Cantora se manifestou contra política da empresa, que pretendia deixar de pagar royalties durante três meses de degustação de seu novo serviço de streaming

Por Da Redação 22 jun 2015, 09h12

Taylor Swift fez a Apple mudar de ideia. A cantora se posicionou contra a proposta da empresa, que pretendia não pagar royalties aos músicos durante três meses de degustação gratuitos para novos assinantes de seu serviço de streaming, Apple Music. Seu protesto foi rapidamente ouvido e respondido.

“A Apple vai garantir que os artistas sejam recompensados. Por isso vamos pagar os músicos pelo serviço de streaming, mesmo durante o período de três meses gratuitos. Nós te ouvimos, Taylor Swift e também aos artistas independentes. Com amor, Apple”, respondeu o diretor de mídia da empresa, Eddy Cue, em sua conta no Twitter. Em entrevista ao BuzzFeed, Cue afirma que ligou diretamente para Taylor, para falar sobre a mudança. Porém, ela ainda não disse se permitirá que seu novo disco, 1989, esteja no serviço.

Leia também:

Taylor Swift boicota novo programa de streaming da Apple

Continua após a publicidade

A recatada Taylor Swift foi à sex shop para gravar clipe

Cinco sinais de que Taylor Swift entende mais de negócios do que muitos CEOs

A cantora publicou um texto de descontentamento neste domingo, em seu Tumblr, intitulado “Para Apple, com amor, Taylor”. “Eu achei isso [a política de pagamentos] chocante, decepcionante e completamente diferente da trajetória progressista e generosa da empresa”, escreveu Swift.

“Isso não é reclamação de uma menina mimada e petulante. Estes são os sentimentos de todos os artistas, escritores e produtores nos meus círculos sociais, que temem falar publicamente porque admiram e respeitam a Apple”, escreveu a cantora. “Não pedimos iPhones de graça. Por favor não nos peça dar a vocês nossa música sem nenhuma compensação.”

Taylor já havia se posicionado contra a concorrente da Apple, a Spotify, em novembro, e retirou do canal seu disco 1989, afirmando que o serviço de streaming não é justo no pagamento dos artistas. A Apple Music será lançada no dia 30 de junho e, após os três meses de uso gratuito, a empresa planeja cobrar cerca de 9,99 dólares por mês.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês