Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Sebastião Salgado, sobre desmatamento: “O governo está mentindo”

Em entrevista a VEJA, o fotógrafo lamentou o descaso com a Amazônia na gestão Bolsonaro e falou da corrente global em prol da floresta.

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 11 jun 2021, 12h47 - Publicado em 11 jun 2021, 06h00

O governo garante que está combatendo o desmatamento, mas ONGs dizem o contrário. Quem está com a razão? A verdade é que o governo está mentindo brutalmente. Como combater o desmatamento se os quadros do Ibama foram dilapidados? Não há mais controle. A Funai hoje é uma catástrofe.

O presidente Bolsonaro disse que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está lutando contra “xiitas ambientais”. O que o senhor acha dessa visão? Não sou um xiita ambiental. Penso que o Brasil poderia ter um retorno financeiro do planeta vinte ou trinta vezes maior se preservasse a floresta, em vez de destruí-la. A opção do governo é predatória. É um projeto de destruição.

Como vê a investigação de Salles por suspeita de envolvimento no contrabando de madeira? É uma denúncia que veio dos Estados Unidos. E o que foi enviado para a Europa e para Ásia e não foi denunciado? As fotos do desmatamento são de arrepiar. Não posso acusar ninguém, mas é terrível imaginar um ministro do Meio Ambiente envolvido num caso desses.

Em uma live de Bolsonaro, o presidente da Funai, Marcelo Xavier, disse ser possível uma “convergência” entre garimpo e terra indígena. É possível? É profundamente duvidosa a ação da Funai hoje. Acho terrível o que está acontecendo, inclusive em terra indígena ianomâmi, com a invasão de garimpeiros sob a proteção da Funai.

Celebridades de Hollywood se engajaram na preservação da Amazônia. Até que ponto esse apoio faz diferença? É uma participação importante, mas não é só Hollywood. Temos artistas na França, grandes intelectuais e políticos estrangeiros. O planeta inteiro está engajado. É um movimento global. Os únicos que não estão engajados são as pessoas que estão no poder no Brasil.

Publicado em VEJA de 16 de junho de 2021, edição nº 2742.

Continua após a publicidade
Publicidade