Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Recriar escritórios da Disney foi ‘incrível’, diz designer de ‘Walt nos Bastidores de Mary Poppins’

Em vídeo, Michael Corenblith conta como foi a experiência de reproduzir escritórios e estúdios dos anos 1960 para o longa, que estreia em fevereiro

Por Da Redação Atualizado em 10 dez 2018, 11h09 - Publicado em 16 jan 2014, 09h32

Em vídeo obtido com exclusividade pelo site de VEJA, o designer de produção do filme Walt nos Bastidores de Mary Poppins, Michael Corenblith, conta como foi recriar cenários e escritórios dos anos 1960 para o longa. “Sou uma criança dos anos 1950. Como cresci assistindo ao Clube do Mickey Mouse e O Mundo Maravilhoso da Disney, a oportunidade de imaginar e criar os escritórios de Walt Disney foi incrível”, diz Corenblith.

Leia também:

Meryl Streep chama Walt Disney de racista e misógino

John Lee Hancock, o diretor do filme que estreia em 14 de fevereiro no Brasil, afirma que a produção tinha muitas limitações para mudar aspectos atuais dos parques e dos estúdios da Disney para as gravações. Mesmo assim, segundo ele, a equipe conseguiu trazer a essência dos anos 1960 para os cenários e os figurinos. “Eles fizeram um trabalho lindo. Só ver todo mundo com cortes de cabelo de 1961 e vestindo as roupas… nada muito exagerado, mas tudo é específico e ótimo”, diz.

O longa conta a história da adaptação do livro infantil Mary Poppins, escrito pela britânica P.L. Travers, para o cinema em 1964 pelos estúdios de Walt Disney. A rígida escritora, vivida pela atriz Emma Thompson, se mostra relutante em aceitar que sua obra chegue aos cinemas da forma como Disney, interpretado por Tom Hanks, planeja. Aos poucos, ele ganha a confiança dela e começa a trabalhar na adaptação.

O filme Mary Poppins, dirigido por Robert Stevenson, ganhou cinco prêmios no Oscar de 1965, incluindo o de melhor atriz para Julie Adrews, melhor trilha sonora e melhor canção original. Um dos responsáveis pela trilha, Richard Sherman, atuou como consultor musical de Walt nos Bastidores de Mary Poppins. “É uma experiência maravilhosa para mim. É como ver seus filmes caseiros de si mesmo de 50 anos atrás. Estou muito impressionado com os diversos escritórios, onde trabalhamos quando mostramos nossas músicas à senhora Travers… Isso me trouxe muitas lembranças”, diz ele no vídeo.

https://www.youtube.com/watch?v=PyE7pIERSR4

Continua após a publicidade
Publicidade