Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Para pagar dívida, Royal Institution leiloa obras de Darwin e Kepler

Uma das mais renomadas instituições britânicas de ciência contraiu um passivo de 2 milhões de libras com a reforma de seu prédio. Entre os títulos à venda estão o relato de Charles Darwin 'A Viagem do Beagle' e 'Astronomia Nova', no qual Johannes Kepler descreve as primeiras leis do movimento dos planetas

Por Da Redação 21 out 2015, 16h05

Noventa trabalhos que cobrem três séculos de pesquisa científica irão a leilão na Christie’s de Londres, em 1º dezembro, entre eles as primeiras edições de livros escritos por Charles Darwin, Isaac Newton e Johannes Kepler. Os objetos fazem parte da coleção da Royal Institution, uma das mais prestigiadas do Reino Unido, que quer arrecadar dinheiro para eliminar a dívida de 2 milhões de libras (quase 12 milhões de reais), contraída durante a reforma de seu prédio. Escrito por Darwin durante sua viagem a bordo do navio Beagle e publicado em 1839, o livro Narrativa da Viagem de Levantamento dos Navios de nossa Majestade Adventure e Beagle (mais conhecido simplesmente como A Viagem do Beagle), vale entre 10.000 e 15.000 libras (59.000 e 89.000 reais).

LEIA TAMBÉM:

Obras de Portinari, Tomie Ohtake e Alfredo Volpi vão a leilão em SP

Descendentes de Luís XIII leiloam tesouros de família por R$ 27,4 mi

Tela de Guignard se torna a mais cara de um brasileiro a ser leiloada

Para Stefania Pandakovic, chefe do departamento de vendas da Christie’s, a seleção é “fantástica”. “Esses trabalhos não são só alguns dos mais importantes textos científicos feitos nos últimos 400 anos, que proporcionam uma perspectiva do desenvolvimento da ciência desde o século XIX, mas também são especiais pela relação que têm com a Royal Institution”, falou ela ao jornal britânico The Guardian.

O item mais valioso do leilão, porém, é a primeira edição de De Humani Corporis Fabrica, estimado entre 140.000 e 220.000 libras (entre 836.000 e 1,3 milhão de reais), uma análise anatômica publicada em 1543 pelo belga Andreas Vesalius. Para realizá-la, ele estudou e comparou diversos corpos dissecados de criminosos executados. “As madeiras usadas para imprimir os livros foram preparadas no estúdio do pintor Ticiano sob a supervisão de Vesalius, mas é raro encontrar uma edição em tão bom estado, mesmo depois de usada por vários médicos antes de uma cirurgia”, falou Stefania.

Também é destaque a primeira edição de Astronomia Nova, de 1609, um texto do astrônomo Johannes Kepler em que ele descreve as duas primeiras leis do movimento planetário. Outra publicação inicial que integra o catálogo é Ars Conjectandi, tratado de Jacob Bernoulli sobre a probabilidade, tema que o matemático suíço estudou para criar a lei dos grandes números.

Fundada em 1799, a Royal Institution sofre com suas finanças desde 2008, quando reformou seu prédio no centro de Londres ao custo de 22 milhões de libras (131 milhões de reais). A ideia inicial era expandir o local para atrair mais visitantes, mas, com a crise econômica mundial, o público não foi suficiente para cobrir os gastos. A instituição espera arrecadar por volta de 750.000 libras com os livros separados para o leilão.

Continua após a publicidade
Publicidade