Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

‘Não sou mandona, sou a chefe’: Beyoncé quer mulheres na liderança

A cantora se uniu às atrizes Jennifer Garner e Jane Lynch para campanha

Por Da Redação 11 mar 2014, 09h55

Beyoncé e as atrizes Jennifer Garner e Jane Lynch se uniram para incentivar meninas e mulheres a serem ambiciosas e alcançarem cargos de chefia. As artistas ajudaram a promover uma campanha para a organização Lean In, criada após o lançamento do livro Faça Acontecer (Companhia das Letras). Na obra, Sheryl Sandberg, a chefe operacional do Facebook, incentiva mulheres a liderar.

Leia também:

Beyoncé diz ter vergonha de uma de suas canções

Álbum de Beyoncé vende 430.000 cópias em um dia

Beyoncé realiza último desejo de fã com doença terminal

“Durante o ensino médio, as meninas estão menos interessadas em liderança do que os meninos. Isso porque elas têm medo de serem chamadas de mandonas”, diz a cantora. “Nós precisamos dizer a elas que não há problema em ter ambição”, completa. A mensagem das artistas ainda traz para as garotas frases como “você pode mudar o mundo”. O vídeo termina com Beyoncé dizendo: “Eu não sou mandona, eu sou a chefe.”

A campanha, batizada de Ban Bossy (algo como “banir o mandona”), também conta com a participação de Condolezza Rice, secretária de Estado dos Estados Unidos durante o segundo mandato do governo George W. Bush.

Continua após a publicidade

Publicidade