Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Museu alemão devolve obra tirada de judeu por nazistas

A pintura 'Virgem e o Menino', que data do início do Renascimento, foi vendida à força por marchand judeu em 1937

Por Da Redação 5 mar 2013, 16h00

Um museu alemão devolveu um quadro que havia sido tirado pelos nazistas de comerciante de arte judeu Max Stern (1904-1987). A tela foi entregue aos homens de Hitler em uma venda forçada, em 1937. Em dezembro do mesmo ano, sentindo pesar o clima na Alemanha, Stern fechou sua galeria em Dusseldorf e fugiu para Londres, de onde partiria para o Canadá, em 1941. A pintura Virgem e o Menino, que data do início do Renascimento, foi entregue aos herdeiros do marchand pela Staatsgalerie, de Stuttgart, com intermediação da Universidade Concordia de Montreal. Desde 2003, a Universidade Concordia de Montreal recuperou mais de 400 pinturas de Stern que caíram nas mãos dos nazistas.

O quadro é atribuído ao Mestre de Flémalle (1375-1444), identificado pelos historiadores como Robert Campin, e havia sido doado ao museu de Stuttgart após a Segunda Guerra Mundial. Depois da morte de Stern, em 1987, a maior parte de seus bens foi legada à Universidade Concordia, à Universidade McGill em Montreal e à Universidade Hebreia de Jerusalém. A restituição da obra pelo museu de Stuttgart ocorre no ano em que a fundação da Galeria Stern em Düsseldorf por parte do pai de Max Stern, Julius, completa um século.

Esta é décima devolução nos dez anos do projeto de restituição, e sua recuperação ocorreu graças aos pesquisadores da Staatsgalerie de Stuttgart e do Escritório de Processamento de Reclamações do Holocausto do Departamento de Serviços Financeiros do estado de Nova York. “O desafio é fazer com que outros museus que estejam em posse de pinturas de Stern sigam o exemplo de Staatsgalerie”, declarou o presidente da Universidade Concordia, Alan Shepard.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade