Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Mulheres Ricas’ têm motivos para sofrer – o público também

Segundo episódio do reality show estava mais para encenação pré-roteirizada em que as participantes fizeram papéis de pobres donzelas milionárias

Por Mariana Zylberkan 15 jan 2013, 00h23

No segundo episódio de Mulheres Ricas 2013, exibido nesta segunda-feira na Band, as participantes quiseram demonstrar que dinheiro não dá imunidade contra imprevistos e decepções. A tentativa de dar um ar de “a vida como ela é” ao reality show, o que já não deveria acontecer por ser um pleonasmo nesse tipo de programa, escancarou a vocação de encenação pré-roteirizada da atração, vendida ao telespectador como espelho da realidade.

LEIA TAMBÉM:

Todas contra Val Marchiori

Ode ao fútil vira novela com trajes de luxo

‘Censo Mulheres Ricas’: Participantes têm até dez banheiros em casa

Em uma falta de naturalidade que quase beirou o cômico, Mariana Mesquita demonstrou toda sua frustração ao levar um bolo do próprio marido, o ex-jogador Luizão, no jantar romântico preparado por ela. “Ele vai ter dois trabalhos, pagar a conta e aceitar a minha carreira de atriz.”

Continua após a publicidade

Todo o mise-en-scène decorado à luz de velas foi preparado para ela convencer o marido de que estava na hora de dividir a vida em família com a realização do sonho de atuar. “Eu não vou dizer que o meu marido é machista, mas ele nunca quis que eu trabalhasse e nem estudasse.”

A tensão diante da difícil conversa foi propagada entre empregados e amigas quando Mariana percebeu o atraso da chef de cozinha que iria preparar o jantar. “Ele vai chegar e a surpresa não vai estar pronta”, esbravejou com um cachorro da raça maltês no colo. No viva-voz do celular, Luizão surpreendeu a mulher e disse que ainda estava preso em uma reunião de trabalho no Rio de Janeiro, de onde não voltaria ao menos até o dia seguinte.

Momentos difíceis também foram vividos por Mariana na companhia de Andréa Nóbrega e Cozete Gomes. A bordo de um jatinho particular rumo ao Rio, para particiar do aniversário de Narcisa, o trio foi surpreendido com a notícia de que não poderia voar devido às más condições climáticas. Pelo menos foi essa a explicação, possivelmente ensaiada diversas vezes, que o piloto deu às passageiras.

Elas tiveram então que desfilar seus trajes de gala, especialmente escolhidos para abrilhantar a festa de aniversário, pelos corredores do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Andréa quase desistiu da festança por se recusar a pegar a ponte aérea metida em um vestido de gala, mas cedeu diante da insistência das amigas e deu exemplo de que qualquer imprevisto previamente planejado pode ser facilmente superado.

Festa da Narcisa – Nesta edição, Narcisa Tamborindeguy parece ter se imposto a tarefa de superar o próprio posto de participante mais marcante do Mulheres Ricas. Em uma das primeiras cenas do segundo episódio, ela apareceu de roupão, com o rosto coberto por uma máscara cosmética branca e cantando “Parabéns para mim.”

“O que eu faria sem as minhas babazinhas”, disse ao abraçar as empregadas domésticas que trouxeram uma espécie de rocambole à mesa de café da manhã. Na agenda do dia de aniversário de Narcisa, além dos preparativos para uma festa de arromba no apartamento de um amigo, ela também incluiu uma normalíssima visita ao consultório do dentista, algo que raramente a maioria das pessoas deixa para fazer na data comemorativa.

“Sai do elevador que eu estou filmando o meu aniversário”, ordenou a socialite a duas pessoas que tiveram a infelicidade de chegar ao mesmo tempo do que ela ao edifício onde ficava o consultório. Já na cadeira da dentista, Narcisa foi filmada com a boca aberta e paramentada com um aparelho acoplado ao seu nariz que tem a função de anestesiar o paciente.

Na festa, Narcisa fez questão de apresentar Aeileen aos convidados. “Essa é a minha amiga rica. Como é seu nome mesmo?” A cantora de música sertaneja respondeu: “Aeileen”. “Alienígena?”, caçoou Narcisa, contrariando por um momento a encenação programada para mostrar que a espontaneidade é uma erva-daninha que brota mesmo nos terrenos mais previsíveis.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês