Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Médico de Michael Jackson sai da prisão e pode lançar livro

Conrad Murray, condenado por homicídio culposo por ter administrado uma alta dose de propofol no corpo do cantor, foi liberado nesta segunda-feira

Por Da Redação 28 out 2013, 12h40

O cardiologista de Michael Jackson, Conrad Murray, foi libertado da prisão nesta segunda-feira, após cumprir quase dois anos de pena pela morte do cantor, ocorrida em 2009. O médico foi condenado a quatro anos em regime fechado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, por ter administrado uma alta dose do analgésico propofol no corpo do cantor sem o devido monitoramento dos sinais vitais. Segundo o site da revista The Hollywood Reporter, por causa de uma mudança nas leis do estado da Califórnia, onde estava preso, ele pôde sair antes do término de sua pena.

Leia também:

Conrad Murray ameaça família Jackson em gravação

Filhos de Michael Jackson souberam da morte pelo médico

Quarto de Michael Jackson era quase uma enfermaria

Continua após a publicidade

De acordo com o site TMZ, o médico usou o tempo encarcerado para escrever um livro de memórias, com a história de sua vida e do tempo em que tratou de Jackson. Segundo fontes ouvidas pelo site, ele usa o livro, que ainda não tem uma editora, para justificar sua conduta e para culpar outras pessoas pela morte do cantor. O site afirma também que Murray está aberto a negociações para estrelar um reality show sobre sua vida após a passagem pela prisão.

Murray foi condenado em 2011 pela morte de Michael Jackson, em 2009, que na época se preparava para uma turnê. O médico, que teve sua licença cassada, recebeu a maior sentença possível pelo delito e começou a cumprir a pena de quatro anos já no dia de sua condenação.

Leia também:

Ex de Michael Jackson falará em tribunal sobre vício em remédios

Michael Jackson passou dois meses sem dormir antes de morrer, diz especialista

No aniversário da morte de Michael, fãs depositam 10.000 rosas em sepultura

Continua após a publicidade
Publicidade