Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mara Maravilha ‘dá o troco’: gata batizada de Xuxa

Cantora evangélica foi ao programa da ex-rival e ouviu justificativa para ter inspirado nome de cachorra: 'querida'. Arram, senta lá, Claudia

Por Da redação Atualizado em 19 jul 2016, 11h21 - Publicado em 19 jul 2016, 11h17

Como fez em sua estreia na Record, quando tentou expurgar o passado ao receber a menina a quem chamava de Cláudia — e que na verdade tem o nome de Érica — e mandava se sentar em um vídeo que viralizou na internet, na noite desta segunda-feira Xuxa recebeu a ex-rival Mara Maravilha e tratou de uma questão encaroçada entre elas: por que, afinal de contas, pôs o nome da antiga concorrente em uma cadela. Aliás, não só o nome de Mara: Xuxa ganhou duas vira-latas de fãs argentinos na década de 1990, e a outra foi batizada de Angélica. Mas a hoje cantora evangélica Mara revelou ter dado o troco: pôs o nome de Xuxa em uma gata de estimação.

LEIA TAMBÉM:
Após ‘cachorrada’ com Angélica e Mara, Xuxa enche Facebook de pulgas
Em vídeo, Xuxa diz ter duas cachorras, Mara e Angélica
Xuxa exibe corpão de biquíni – e plantando bananeira

“Eu já tive 54 cachorros, uma hora acabam os nomes de animais e tem que começar a botar nome de gente. Eu tenho um cachorro que dorme comigo que se chama Eduardo. Na Argentina, me deram duas vira-latas, uma era loira e outra era morena. E lembro que na época todo mundo falava que eu tinha rixa com as duas (Angélica e Mara). Eu só boto o nome de quem eu gosto”, justificou Xuxa. Arram, senta lá, Cláudia.

Xuxa ainda fez questão de dizer que nunca teve nada contra Mara ou Angélica e que no fundo sempre admirou as suas concorrentes. “Todo mundo diz que eu não gosto delas. Cara, o nome de um dos meus cachorros é o nome do meu avô. Tenho outro que tem o nome do meu pai. Como assim, gente?”, questionou a loira.

Foi então que Mara Maravilha aproveitou para dizer que também usou o nome da rival em um pet. “Eu tinha uma gatinha que se chamava Xuxa. A gente tem que amar os animais, mas tem ser humano que dá tanto amor pelo bicho e não consegue dar o mesmo amor para outro ser humano. Tudo bem, bicho é legal. Mas, em primeiro lugar, o ser humano”, filosofou Mara.

Continua após a publicidade
Publicidade