Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Manchester: show beneficente começa com minuto de silêncio

A homenagem às vítimas de atentado realizado há duas semanas no show da cantora Ariana Grande veio apenas 24 horas depois de um novo ataque, em Londres

Por Da redação Atualizado em 4 jun 2017, 18h05 - Publicado em 4 jun 2017, 17h53

O show em homenagem às vítimas do atentado realizado ao final da apresentação da cantora americana Ariana Grande em Manchester, há duas semanas, começou com um minuto de silêncio. A apresentação aconteceu apenas 24 horas depois de um novo ataque ter matado sete pessoas em Londres. Cerca de 60.000 pessoas compareceram ao evento.

O público, segurando cartazes onde se podia ler “para nossos anjos”, fez um minuto de silêncio antes de que Marcus Mumford, líder do grupo Mumford & Sons, iniciasse o espetáculo. O show, intitulado One love Manchester, é realizado no estádio de críquete de Old Trafford. O atentado que ocorreu após a apresentação de Ariana Grande no Manchester Arena, deixou 22 mortos, incluindo várias crianças, e 116 feridos.

Grande surgiu no palco aparentando estar emocionada e com os olhos cheios de lágrimas enquanto cantava “Be Alright” e “Break Free”. Antes da performance, ela e seus bailarinos deram as mãos em solidariedade.

“Manchester, nós vamos ficar bem”, disse ela. Mais tarde, a cantora retornou ao palco ao lado da banda Black Eyed Peas com o hit “Where Is the Love?”.

O evento contou com a participação de vários artistas do pop, como Justin Bieber, Katy Perry, Coldplay, Robbie Williams, Pharrell Williams, Miley Cyrus, Take That, Usher, the Black Eyed Peas, Little Mix e Niall Horan, do One Direction.

Continua após a publicidade

Após o atentado deste sábado na capital britânica, onde sete pessoas morreram atropeladas por uma van e esfaqueadas, o agente de Grande, Scooter Braun, disse que o show beneficente seria mantido, “com ainda mais motivos”.

“Rezando por Londres”, tuitou a cantora de 23 anos. “Não devemos ter medo e devemos prestar uma homenagem aos afetados, aqui e no mundo todo, juntaremos nossas vozes e cantaremos com força”, afirmou.

A renda do evento será doada para as famílias das vítimas. As 35.000 entradas que foram colocadas à venda na quinta-feira por 40 libras (51 dólares) foram vendidas em poucos minutos. Também havia 14.200 entradas grátis reservadas aos que estiveram no show de 22 de maio.

As autoridades estimavam a presença de até 130.000 pessoas neste domingo na zona do show e tomaram medidas adicionais de segurança. “Aumentamos nossos recursos, com um número importante de agentes da polícia da região de Manchester e colegas de outras forças, alguns dos quais irão armados”, disse o superintendente Stuart Ellison.

O show foi transmitido ao vivo pelo Twitter, Apple e YouTube, e também pela BBC e pela MTV.

(Com AFP e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)