Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

‘Jungle Cruise’ confirma streaming como nova mina de ouro da Disney

No fim de semana de estreia, filme arrecadou globalmente US$ 61,8 milhões nos cinemas - e outros poderosos US$ 30 milhões no Disney+

Por Amanda Capuano 2 ago 2021, 12h58

A nova aposta da Disney, Jungle Cruise, chegou aos cinemas nesse final de semana, e arrecadou uma receita global de 61,8 milhões de dólares, segundo divulgado pela Variety. Seguindo a estratégia de lançamentos simultâneos da empresa, o longa estreou concomitantemente no Disney+, onde atingiu a marca de 30 milhões de dólares em receita com o premier access, taxa extra cobrada pelo serviço que dá acesso à estreia.

Essa é a segunda vez que a Disney libera os ganhos obtidos por um lançamento no streaming – a primeira foi com Viúva Negra, que faturou 60 milhões de dólares na plataforma, e 158,8 milhões de dólares em bilheteria global. Somadas as duas frentes, a arrecadação do filme na semana de estreia bateu os 218,8 milhões de dólares, com o streaming representando aproximadamente 27% desse valor. No caso de Jungle Cruise, onde a soma de cinema e streaming totalizou 91,8 milhões de dólares, o peso do Disney+ foi de 32% – um pouco mais alto, mas nada discrepante.

Com os dados de apenas duas estreias divulgadas até então, os números não configuram exatamente um padrão, e podem ser mera coincidência. Mas é significativo que o streaming mantenha a tendência de representar cerca de um terço da renda da estreia. Repetindo-se nos demais lançamentos, é um indício de que uma parcela relativamente estável do público ainda prefere pagar para assistir aos lançamentos em casa, por segurança ou conforto, do que se arriscar a ir até aos cinemas, independente do filme em cartaz.

No caso do medo, a ideia fortalece o argumento da Disney de que a estratégia ajuda no desempenho dos longas, já que o público do premiere access – que sai a 30 dólares nos Estados Unidos e 70 reais no Brasil –, talvez não estivesse disposto a ir aos cinemas. Já para aqueles cujo o conforto é o fator decisivo, quem ganha razão são os donos de cinema, que acusaram a empresa de minar o potencial de bilheteria dos filmes lançando-os online.

De uma forma ou de outra, o lançamento simultâneo ainda promete dar muito pano pra manga. Além do ataque dos donos de cinema, Scarlett Johansson, estrela de Viúva Negra, entrou com uma ação contra a Disney acusando a empregadora de minar seu salário, dependente da bilheteria, com o lançamento no streaming e, segundo divulgado pelo Hollywood Reporter, Emma Stone, protagonista de Cruella, pode seguir pelo mesmo caminho.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.