Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

James Franco é traficante em ‘Linha de Frente’, de Stallone

Por Da Redação 27 nov 2013, 19h51

James Franco, cada vez mais onipresente em Holywood, vai se arriscar em um projeto de Sylvester Stallone, diretor de um dos maiores fracassos de bilheteria do ano. Franco será um traficante em Homefront, um thriller dramático e violento escrito por Sylvester Stallone com base no romance homônimo de Chuck Logan, autor popular nos Estados Unidos, e dirigido por Gary Fleder (Impostor e O Júri). Stallone também é o produtor do filme, que estreia nesta quarta-feira nos Estados Unidos, e no próximo dia 6 de dezembro no Brasil, com o título de Linha de Frente.

James Franco faz paródia gay de clipe de Kanye West

Longa de James Franco decepciona em Cannes

O papel do ex-policial Phil Broker ficou com o britânico Jason Statham, amigo do criador de Rambo e Rocky. Broker, um ex-agente da DEA viúvo e procurado pelo líder de um cartel do tráfico em que se infiltrou, muda-se com a filha para uma pequena cidade em Louisiana, onde conhece Gator (James Franco), um traficante, fabricante e fornecedor de metanfetaminas, que sonha em expandir seu território. Quando descobre o passado de Broker, Gator elabora um plano para entregá-lo ao cartel em troca de uma fatia maior do bolo.

“Achei o filme foi bem construído e o traficante, um vilão interessante com quem poderia me divertir”, disse James Franco em coletiva de imprensa em Beverly Hills. O ator de 35 anos, que divide seu tempo entre suas atividades como ator, pintor e professor de literatura, dá um toque de originalidade ao filme, ante a composição clássica de Jason Statham, que desempenha seu habitual papel de justiceiro de grande coração e braços fortes. Ele é o centro de um trio que também inclui sua irmã, uma viciada em metanfetaminas (Kate Bosworth), e sua ex-mulher e cúmplice (Winona Ryder).

“No roteiro, Gator não está muito interessado em sua irmã. Apesar de ser dependente química, ele coloca mais drogas debaixo de seu nariz”, diz James Franco. “Então, quando li o livro, assim como o diretor, percebi que eles poderiam ter uma relação muito mais complexa.” Para Franco, seu personagem “na verdade, ama sua irmã”, e, provavelmente, gosta mais dela do que ela dele. “Ele gostaria de poder dar tudo a ela, e ele se desespera ao ver que o que ela quer dele, as drogras, é precisamente o que a mata aos poucos”.

O coração de Stallone — Jason Statham lembrou, por sua vez, os laços que o unem a Sylvester Stallone, com quem fez três filmes, e prestou homenagem ao seu trabalho de roteirista — mais de 20 scripts em 40 anos de carreira.

“Muitas vezes esquecemos que ele escreveu um monte de filmes e isso é importante para ele”, declarou. “Ele escreve com o coração e não se concentra apenas em um ou dois personagens. Nutre a história toda com papéis excelentes. E ele faz isso muito bem”, elogiou.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade