Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Gibson, fabricante de instrumentos, é multada em 350 mil dólares por usar madeira protegida

Empresa é acusada de usar madeiras provenientes de Madagascar e da Índia

Por Da Redação 6 ago 2012, 22h05

A Gibson, empresa fabricante de instrumentos, foi condenada a pagar uma multa de 350 mil dólares por ter utilizado madeiras proibidas provenientes de Madagascar e da Índia na elaboração de seus produtos. A companhia foi multada por violar a legislação dos Estados Unidos com a compra e importação de pau-rosa e ébano da Índia e Madagascar, informou nesta segunda-feira o Departamento de Justiça do país.

A Gibson concordou em pagar uma multa de 300 mil, e outros 50 mil à National Fish and Wildlife Foundation, uma organização encarregada da proteção das florestas e da conservação das espécies arbóreas utilizadas na indústria de elaboração de instrumentos musicais.

O acordo evita que o governo tome ações legais contra a empresa, cujas guitarras já foram tocadas por alguns dos músicos mais célebres de todos os tempos, como Paul McCartney, John Lennon, Bob Marley, Slash e Jimmy Page.

“A Gibson reconheceu que não notou que o ébano de Madagascar usado nos instrumentos violava as leis criadas para limitar a supe-rexploração e conservar as valiosas espécies de madeira de um país que se viu seriamente afetado pelo desmatamento”, afirmou a porta-voz do departamento de Justiça, Ignacia Moreno.

Além da multa, a Gibson terá que renunciar ao ébano confiscado durante as investigações, avaliado em 261,8 mil dólares. “O acordo é justo, já que penaliza seriamente a Gibson por seu comportamento, ao mesmo tempo que lhe permite continuar no negócio de fabricação de instrumentos”, afirmou o promotor Jerry Martin.

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade