Clique e assine com até 92% de desconto

Fãs pagam caro para tirar foto — sem abraço — com Avril Lavigne

Fãs brasileiros da cantora, que está no país em turnê, gastaram 800 reais para encontro exclusivo e foram proibidos de tocá-la ou beijá-la

Por Da Redação 4 Maio 2014, 15h48

Quanto custa tirar uma foto ao lado de seu ídolo? Se o ídolo em questão for a cantora canadense Avril Lavigne, o retrato pode sair, acredite, por 800 reais. O valor, porém, não inclui a possibilidade de o fã abraçar ou mesmo de tocar na cantora – e o resultado são fotos bizarras e, claro, memes.

Avril, que está no Brasil para realizar cinco apresentações – a última acontece neste domingo em Brasília – é mais uma artista estrangeira a oferecer o Meet and Greet (Conhecer e Cumprimentar, na tradução do inglês) no dia do show. Ou seja, seus fãs, além de assistirem à apresentação, têm a oportunidade de passar alguns segundos com a cantora – desde que, claro, paguem o valor estipulado. Fãs que adquiriram o Meet and Greet com Avril, porém, relataram que foram instruídos a não tocar, abraçar ou beijar a canadense.

Leia também:

Em decadência, Avril Lavigne vive uma eterna – e chata – adolescência

Histórico – Em sua conturbada passagem pelo Brasil, no ano passado, Justin Bieber também vendeu pacotes de Meet and Greet. No caso do cantor, o pacote começou a ser vendido por quase 3.000 reais, valor que incluía tirar uma foto em grupo com o cantor nos bastidores dos shows, ingresso para a pista premium e brindes autografados.

Síndrome de Peter Pan

A alguns meses de completar 30 anos, Avril Lavigne ainda tem certeza de que é uma adolescente – ou tem saudade dos tempos de colégio – e ainda posa de skatista rebelde. No clipe de Here’s to Never Growing Up (‘Um Brinde para Nunca Crescermos’, em tradução livre), ela se apresenta em um baile de formatura e canta: “Eles dizem apenas ‘cresça / Mas eles não nos conhecem / Nós não damos a mínima / E nós nunca iremos mudar’”. Já na canção 17, após contar a história de um antigo namorado, que segundo a letra, a ensinou a quebrar as regras, Avril se perde no tempo: “Mas ei, isso não faz muito tempo / E quando eu ouço essa canção / Ela me leva de volta ao passado”.

Continua após a publicidade

Atitude cansativa

Além de achar que tem 17 anos, Avril Lavigne faz questão de tentar vender atitude de rebelde. No clipe de Rock N’ Roll, a canadense exagera nas poses e caretas e tenta explicar o que é o espírito de roqueiro. O mais curioso está na letra, que diz: “Eu não ligo para a minha maquiagem / Eu prefiro quando meus jeans estão rasgados”, enquanto a cantora aparece completamente maquiada e vestindo um uniforme militar.

Contraditória

Ao mesmo tempo em que faz questão de mostrar que ainda tem o espírito de 17 anos e tenta se mostrar roqueira e rebelde, Avril aparece completamente séria, com cara de adulta e sem maquiagens e figurinos extravagantes em Let Me Go. Atuando ao lado de seu marido, o vocalista do Nickelback, Chad Kroeger, Avril canta uma balada romântica em um cenário obscuro, dentro de uma mansão abandonada. O que deveria ser um acerto, já que o clipe está mais próximo de sua real idade, não chega a ser lá grande coisa. O estilo meloso do Nickelback, considerado a vergonha do rock, só piora a falta de desenvoltura da cantora, que tenta parecer Amy Lee, vocalista do grupo Evanescence. 

Acusada de racismo

Recentemente, Avril Lavigne foi infeliz, inclusive, em demonstrar seu amor pela cultura japonesa. No bizarro clipe de Hello Kitty, ela canta alguns versos em japonês, anda pelas ruas de Tóquio, come sushi, bebe saquê e faz uma coreografia com dançarinas nipônicas. O clipe, no entanto, gerou grande controvérsia assim que foi divulgado e a canadense foi acusada de racismo ao estereotipar a cultura japonesa. Nas redes sociais, ela ironizou as acusações e disse amar as tradições do país.

Continua após a publicidade
Publicidade