Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

‘Eu fui namorada de Whitney Houston’

Robyn Crawford lança o livro A Song For You, no qual revela que ela e a cantora americana de soul music namoraram quando eram adolescentes

Por Da Redação 17 nov 2019, 13h50

Durante anos, a bissexualidade de WHITNEY HOUSTON foi motivo de especulação. Os dois documentários dedicados à cantra americana – Whitney: I Can Be Me e Whitney, este último bancado por sua família – apenas tocaram no assunto de leve, sugerindo que ela namorou sua assistente pessoal Robyn Crawford. Em ambas as produções, Robin era vista somente em cenas de arquivo – ela se recusou a dar qualquer depoimento. Mas agora decidiu contar sua versão do tórrido caso de amor.

No livro A Song For You (uma canção para você, em português), ela fala de sua relação com a intérprete de I Will Always Love You e explica por que decidiu mantê-la fora dos hofolotes. “Eu fiz o máximo possível para ficar fora da mídia, mas é meu dever defender a honra de minha amiga e esclarecer as muitas coisas erradas que têm sido ditas em meu nome e no de Whitney”, escreve no prefácio da autobiografia.

Pela primeira vez, Robyn confirma que ela e Whitney iniciaram um romance quando era adolescentes e o namoro durou dois anos. “Não era só uma questão de dormirmos juntos”, explica. “Mas era uma questão confiar nossos segredos e sentimentos. Éramos amigas, éramos amantes. Éramos uma pessoa só”. Whitney terminou o relacionamento assim que assinou seu primeiro contrato como cantora profissional. Ela justificou o término do romance, dizendo que tinha medo que sua vida pessoal fosse investigada pela imprensa.

Robyn e Whitney, contudo, permaneceram amigas. Ela jamais comentou sobre o namoro com a cantora e a apoiou o quanto pôde em todos os momentos turbulentos de sua carreira – inclusive uma relação destrutiva com o cantor Bobby Brown e seu vício em drogas, especialmente o crack. “Não importa o quanto falamos sobre os males do vício, mas ela continuou usando drogas”, desabafou Robyn. Ela deixou de trabalhar com a amiga em 2000 e suspeitava que a cantora era abusada fisicamente por Brown e viu colheres queimadas – usadas para “esquentar” a droga – por toda a casa.

A infância de Robyn Crawford também não foi fácil. Sua mãe também era abusada fisicamente pelo pai e dois de seus amigos morreram de doenças relativas à Aids. Depois de sair da equipe de Whitney Houston, Robyn foi trabalhar como jornalista, tendo entrevistado personalidades como Jessica Biel e Kristen Bell. Hoje atua como personal trainer.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)