Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Estreia de ‘Verdades Secretas’ tem barraco, sexo e nudez

Novela das onze da Globo mostrou cenas quentes da top Alessandra Ambrosio com Rodrigo Lombardi, que chegou a ser comparado a Paolla Oliveira em ‘Felizes para Sempre?’ pelo popozão de fora

Por Meire Kusumoto 9 jun 2015, 09h53

Depois de escrever um melodrama amalucado de 200 capítulos para a faixa das nove, Amor à Vida (2013), mais conhecido como o folhetim do Félix (Mateus Solano) e do primeiro beijo gay das novelas da Globo, Walcyr Carrasco chegou acurado ao horário mais tardio da dramaturgia da emissora. Na estreia de Verdades Secretas, no ar por volta das 22h30 desta segunda-feira, o autor conseguiu apresentar os núcleos principais da trama de modo satisfatório e sem atropelar nenhum deles. mantendo mais o foco, é claro, na personagem principal, a aspirante a modelo Arlete (da estreante Camila Queiroz). Carrasco ainda recheou o capítulo de sequências que repercutiram nas redes sociais, com bullying, barraco e sexo — que deixou de popozão à mostra o bonitão Rodrigo Lombardi, logo comparado nas redes à Paolla Oliveira da série Felizes para Sempre?.

Leia também:

Radar On-Line: “Verdades Secretas”: ibope morno na estreia

‘Moralismo do público não vai me segurar’, diz Walcyr Carrasco, de ‘Verdades Secretas’

Grazi ousa no decote na coletiva da novela ‘Verdades Secretas’

Grazi falou com garotas de programa para papel em ‘Verdades Secretas’

Continua após a publicidade

Logo no começo, Drica Moraes, substituta de Deborah Secco, que deixou a novela ao descobriu sua primeria gravidez, mostrou que estava livre da personagem anterior, a Cora de Império. A atriz brilhou como Carolina, uma dona de casa de São Carlos, interior de São Paulo, que se descobriu traída pelo marido, Rogério (Tarcisio Filho). Ao saber que ele mantém uma segunda família, ela foi cobrar explicações e distribuir bofetadas na amante, Viviane (Laryssa Dias). “Ela deu o golpe da barriga, aceitou ser a outra. Isso é coisa de vadia, de piranha!”, gritou Carolina quando Rogério apartou a briga das duas.

Nessas primeiras cenas, a filha adolescente do casal, a protagonista Arlete, ficou um tanto apagada. As primeiras cenas mostram como a garota alimenta o sonho de ser modelo e mantém contato com uma agência em São Paulo, na esperança de um dia ir para a capital para tentar a carreira. Com a traição do pai, ela se muda para a cidade com Carolina e vai morar na casa da avó, Hilda (Ana Lucia Torre).

A segunda sequência da trama foi a do popozão de Lombardi. Mas não foi apenas isso o que apareceu na cena. A modelo Alessandra Ambrosio fez a sua estreia em novelas em uma sequência para lá de sensual com o ator, que faz do empresário Alex, seu namorado no folhetim. A visão dos dois seminus trocando carícias impressionou tanto que os usuários do Twitter se dedicaram a comentá-la. “Vou dormir feliz com aquela imagem maravilhosa do Rodrigo Lombardi #VerdadesSecretas”, escreveu uma usuária animada. “Paola Oliveira? Não, Rodrigo Lombardi #VerdadesSecretas”, lembrou outra pessoa. Uma terceira lamentou ter perdido a sequência: “Peraí, rolou o popozinho do Rodrigo Lombardi já no primeiro capítulo de #VerdadesSecretas?”.

O clima da novela esfriou quando Arlete enfrentou seu primeiro dia de aula em uma nova escola, um colégio caríssimo frequentado pela nata juvenil da sociedade paulistana. Em uma cena que poderia estar na novelinha adolescente Malhação, a menina virou alvo de bullying de Giovanna (Agatha Moreira) e suas amigas por ter “nome de pobre” e sotaque do interior, além de usar uma camisa “tipo lixão”.

Passado o momento traumático, Arlete se encontrou com o representante da agência de modelos com quem conversava pela internet: Visky (Rainer Cadete), o tipo para o qual Carrasco parecia estar preparando o público quando criou Félix, a “bicha má” de Amor à Vida que só enganava mesmo seu pai quando dizia que era heterossexual. Visky gritou, esperneou e até dançou em poucos minutos na tela.

Ele apresentou Arlete à dona da agência, Fanny (Marieta Severo, ótima em seu retorno às novelas). Em Fanny, a vilã da trama, que leva modelos a se prostituírem, não há nem uma lembrança de Nenê, a mãezona do seriado A Grande Família, que ficou no ar por catorze anos.

Continua após a publicidade
Publicidade