Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cissa Guimarães condena pegas e faz alerta aos pais de jovens: ‘Não se pode educar o filho desta maneira’

Atriz conta que 'terapia do luto' ajuda a superar a dor da perda e afirma que não pretende processar o atropelador: "Tenho um pouco de pena desse rapaz"

Por Da Redação 30 ago 2010, 12h11

“Estou no CTI ainda, estou em hemorragia. Vou sair do CTI uma pessoa muito melhor”

A atriz Cissa Guimarães fez um alerta aos pais sobre a maneira de educar os filhos, na manhã desta segunda-feira, em entrevista à apresentadora Ana Maria Braga no program Mais Você, da TV Globo. “Que isto sirva como alerta aos pais, aos jovens. Não se pode educar o filho desta maneira. Se aconteceu alguma coisa o filho não vai prestar socorro? Fazer pega é uma maluquice meu Deus”, desabafou Cissa, que contou como tem lutado para superar a dor da perda do filho caçula, Rafael Mascarenhas, atropelado na madrugada de 20 de julho quando andava de skate dentro de um túnel na Gávea, zona sul do Rio.

“Eu não queria sentir isso, é um sentimento que estou trabalhando para não ter mas eu tenho um pouco de pena desse rapaz”, disse a atriz, que pela primeira vez se manifestou contra os pegas – uma das hipóteses investigadas pela polícia e que pode, se comprovado, levar o atropelador, Rafael Bussamra, a responder por crime doloso.

A atriz ainda falou sobre a “terapia do luto”, processo que tem sido acompanhado pela psicóloga Adriana Tomás. Segundo explicou, trata-se de uma tentativa não de tentar abstrair a morte, mas de conviver com a realidade de maneira metódica. “Ela te faz conviver com isso de uma maneira que fica pontual. São coisas que você não sabe. O que eu faço com o quarto? Eu escuto muito as pessoas falarem em ‘um dia após o outro’. Não, é um minuto após o outro. Eu estou aqui conversado com você, e daqui a pouco eu estou completamente louca e daqui a pouco eu estou rindo”, contou.

“Estou no CTI ainda, estou em hemorragia. Vou sair do CTI uma pessoa muito melhor”, afirmou. Ao final do programa, Ana Maria Braga presenteou Cissa com um mini oratório com a imagem de Nossa Senhora de Fátima, santa da qual a apresentadora é devota desde que se curou de um câncer.

Cissa voltou a afirmar que, apesar de querer Justiça, não quer saber de processo ou de atrapalhar a vida de Bussamra. Para Cissa, o atropelador do seu filho já está com problemas demais. “Este menino deve estar muito pior do que eu. Este pai deve estar pior do que eu. Pior do que eu não, mas a cabeça dele não deve parar de pensar nisso”, dissse.

A entrevista que foi ao ar na manhã desta segunda-feira, foi gravada durante o fim de semana, antes de mais uma apresentação de seu espetáculo ‘Doidas e Santas’, em cartaz no Teatro Leblon, de quinta a domingo às 21h30. Com a casa lotada a peça passará a ter sessões extras ao sábados às 19h30, adiantou Cissa à apresentadora. Tentando sorrir a Cissa afirmou que preferia não estar fazendo tanto sucesso no Teatro. “Eu preferia não saber que era tão querida. Preferia não ter essa noção, mas o Rafa me deixou isso de presente”, resignou-se.

Esforçando-se para não chorar, a atriz brincou com Ana Maria dizendo que a peça era a filha que ela nunca teve – além de Rafael é mãe de mais dois homens, Thomaz e João Velho. “Essa peça é minha filha, é minha primeira produção”.

Continua após a publicidade
Publicidade