Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

As melhores pamonharias de Goiânia

Confira os endereços da categoria que valem a visita

Por Camila Sayuri, Eula Lôbo, Geovane Gomes, Juliana Koch, Natália Ribeiro, Vinicius Tamamoto e Yuri Lopes Atualizado em 1 ago 2018, 12h12 - Publicado em 28 out 2017, 04h00

O roteiro a seguir, com quinze estabelecimentos, integra a edição de VEJA COMER & BEBER GOIÂNIA 2017/2018:

  • Frutos da Terra: eleita melhor pamonha pelo júri
    Cinquenta pamonhas. Essa era a média diária de quitutes que Elcymar Lobo vendia quando, ao lado da mãe, abriu a acanhada loja na Praça do Racha. Mais de três décadas depois, a marca mantém três endereços e continua imbatível no paladar dos goianienses e do júri de VEJA COMER & BEBER, que lhe confere o 11º troféu da especialidade nesta edição. Apenas na maior das lojas, que fica no Setor Nova Suíça, chegam a ser produzidas até 2 000 unidades — parte delas abastece o ponto do Mega Moda Shopping, inaugurado em 2016. Outras 500 são vendidas todos os dias no endereço do Setor Oeste, que é comandado por Maria Zélia Queiroz Lobo e pela filha, Rayssa Lobo, respectivamente cunhada e sobrinha de Elcymar. Sempre quentinhas, as pamonhas saem em oito versões. As mais procuradas são as tradicionais doce e de sal, que levam apenas queijo fresco no recheio (R$ 8,00 cada uma), e a receita à moda da casa, com linguiça mais queijo (R$ 8,30). Para variar o cardápio, dá para pedir o empadão goiano (R$ 19,00) e o recém- lançado chica bacana (R$ 18,00), um escondidinho feito com a massa da pamonha e servido na palha do milho, disponível com recheio de carne-seca com queijo, frango com catupiry e goiabada com queijo e canela. Rua C-234, 969, Setor Nova Suíça, (62) 3281-4049 (92 lugares). 11h/22h30; Avenida Perimetral, 2110, Setor Oeste, (62) 3233-1507 (30 lugares). 11h/22h30; Mega Moda Shopping. 7h/18h (fecha seg.). Aberto em 1984.

    2º lugar: Chacrinha do Milho
    O casal Lucirene Silva e José Silva está à frente desta pamonharia, que ficou em segundo lugar na eleição da especialidade. A casa vende as tradicionais pamonhas de sal e de doce (R$ 7,00 cada uma), mas oferece também variações, como as recheadas com jiló (R$ 8,00), carne de sol com queijo fresco (R$ 9,00) e à moda, feita com linguiça de frango, queijo fresco e pimenta (R$ 8,00). Novidade no cardápio, a cachapa (R$ 15,00) consiste em uma massa de milho chapeada e recheada ao gosto do cliente. Por mais R$ 5,00, a fatia de bolo de milho adoça a refeição. Rua 1040, 150, Setor Pedro Ludovico, (62) 3093-3120 (50 lugares). 12h/22h (fecha dom. e fer.). Aberto em 2007.

    3º lugar: Pamonharia Caseira
    Os bons quitutes da casa, que funciona há mais de três décadas no mesmo endereço, mereceram a atenção do júri: na eleição de melhor pamonha, ela ficou em terceiro lugar. As tradicionais de sal e de doce custam R$ 7,20 cada uma, e as especiais, R$ 8,20 a unidade. Nesse último rol aparecem receitas como a pamonha à moda, a pamonha de carne-seca, a pamonha com jiló e queijo e a pamonha de calabresa. Há, ainda, sopa de milho (R$ 13,90) e canja de milho com frango desfiado (R$ 15,30). Av. T-9, 4209, Jardim Planalto, (62) 3287-9011 (120 lugares). 17h/0h. Aberto em 1983.

    D’Casa Pamonharia
    A casa ocupa um lugar no tradicional mercado popular da Rua 74. Durante todo o dia são servidas pamonhas — entre as mais pedidas pelos clientes estão a de sal com queijo (R$ 6,00) e a à moda, com linguiça, queijo e pimenta (R$ 6,50). Tem boa saída o bolinho frito de milho, vendido por unidade (R$ 2,50). Das receitas doces, destacam-se a pamonha doce com queijo (R$ 6,00) e o curau de milho (R$ 4,50). Rua 74, 329, Setor Central. (62) 3224-3609 (8 lugares). 8h/19h (sáb. até 14h; fecha dom.). Aberto em 2002.

    Feira do Moreira
    Realizada duas vezes por semana, a conhecida feira do Moreira reúne na praça várias bancas com venda de roupas, comida, artesanato e outras lembranças de Goiânia. Nas quartas-feiras, a barraca da Daiana e do Rodolfo vende pamonhas que podem ser consumidas ali ou levadas para casa. As versões de sal e de doce, todas com queijo, custam R$ 8,00. Já no domingo, a banca do Thiago oferece os quitutes por R$ 5,00, também de sal ou de doce e com queijo, mas os destaques estão nas pamonhas à moda da casa (R$ 6,00), recheadas com linguiça, queijo e pimenta, frango com catupiry ou goiabada com queijo. Avenida Perimetral, entre T-1 e T-6, Setor Coimbra. Qua. 6h/13h e dom. 16h/22h.

    Pamonha Caipira
    Aberta todos os dias da semana, a casa apresenta preços padronizados. São cinco tipos de pamonha: sal, doce, à moda, frango com catupiry e à moda com jiló (R$ 6,50 cada uma). Outras variedades do milho também marcam presença no menu, a exemplo da sopa de milho (R$ 10,00) e do curau (R$ 4,00). 9ª Avenida, 945, Leste Vila Nova, (62) 3261-5398 (36 lugares). 15h/23h. Aberto em 1996.

    Pamonha Oeste
    Nos últimos anos o espaço passou por uma reforma e atualmente acomoda mais de 100 pessoas. Apesar de presentar outros sabores, os clientes ainda preferem as pamonhas clássicas de sal e de doce com queijo (R$ 8,50 cada uma). Também aparecem sugestões com frango (R$ 9,50) e carne-seca (R$ 10,00). Bolinho, empadas, arroz-doce e canjica complementam o cardápio de quitutes. Avenida R-9, 124, Setor Oeste, (62) 3291-4060, (112 lugares). 8h30/23h. Aberto em 1991.

    Continua após a publicidade

    Pamonha 85
    As pamonhas com recheio de chocolate ou queijo e goiabada (R$ 7,00 cada uma) fazem parte do cardápio, que relaciona onze recheios diferentes. As tradicionais de doce e de sal (R$ 6,00 cada uma) ainda são as mais procuradas pela clientela. Há também pratos como a chica doida e a cachapa. Em razão da grande procura — por dia, chegam a ser vendidos mais de 1 000 quitutes — mais uma filial da pamonharia foi inaugurada na capital. Rua C-118, 222, Quadra 233, lote 3, Jardim América, (62) 3286-5258. 13h/22h (fecha dom.) Aberto em 1998. Aqui tem iFood.

    Pamonharia Delícia Pura
    A receita de pamonha de Hélio Ferreira é uma herança familiar. Junto da esposa Surama, ele começou a vendê-la como ambulante e depois em feiras. O crescimento da clientela inspirou o casal a abrir a loja, um ambiente aberto e revestido de madeira, com cardápio variado. A pamonha de sal à moda da casa, com linguiça, frango, queijo, pimenta-de-cheiro, catupiry e cheiro-verde, custa R$ 13,00, e a com queijo, R$ 10,00. Entre as doces está a de queijo com canela (R$ 10,00). Avenida Liberdade, 1220, (62) 3542-3166 (80 lugares). 14h/23h. Aberto em 2005.

    Pamonharia Delícias da Roça
    Das seis opções de pamonha, a novidade mais recente é a com recheio de jiló (R$ 7,50), que ainda leva queijo e linguiça caipira. Mas o prato mais pedido é a chica doida (R$ 10,00), semelhante a uma sopa de milho ralado, mussarela, carne-seca desfiada, milho, linguiça caipira, calabresa, bacon e cheiro verde. O local também dispõe de pamonha à moda (R$ 6,00), à moda especial (R$ 7,00), com queijo, linguiça caipira e frango desfiado; tradicional de sal com queijo (R$ 6,00) e carne de sol com guariroba (R$ 8,00). Avenida Pedro Ludovico, 304, quadra 99, lote 2, Setor Sudoeste, (62) 3277-3752 (34 lugares). 11h/21h. Aberto em 2009.

    Pamonharia Maria Pamonha
    O bolinho de milho frito (R$ 1,50 cada um), feito com massa de milho, temperos e recheio de queijo, o curau (R$ 3,50) e o caldo de milho (R$ 5,00, 500 mililitros) complementam o cardápio da pamonharia, cujas especialidades são as pamonhas de sal (R$ 4,00), de doce (mesmo valor) e à moda (R$ 4,50). Os clientes também podem comprar peças de queijo fresco (R$ 15,00) e requeijão caseiro (12,00). Rua Flemington, 705, Vila Bela, (62) 99214-0915 (22 lugares), 11h/22h (fecha sáb. e dom.). Aberto em 2002.

    Pamonharia Meiry
    Tradicional na cidade, a pamonharia completou 32 anos e atualmente é comandada pelos filhos do casal Rosimary e Altino Pereira. Ao todo, 400 pamonhas são vendidas diariamente. A pamonha assada com catupiry, recheada com linguiça, pimenta e cheiro-verde representa boa parte das vendas (R$ 11,00 a unidade). Completam a lista as pamonhas de carne de sol, de lombo de porco e à moda com linguiça e frango, todas acrescidas de queijo e pimenta (R$ 8,00 cada uma). Para adoçar, há curau (R$ 4,00). Avenida Rio Grande do Sul, 779, Campinas, (62) 3233-8436 (88 lugares). 8h/23h (fecha sáb.). Aberto em 1985.

    Pamonharia Regina
    Além do quitute de milho, o restaurante serve almoço (R$ 24,90 o quilo) e café da manhã todos os dias. Nesse último, sugestões como pão de queijo (R$ 1,00) e biscoito de queijo assado (R$ 1,50) ficam alinhadas em bufê. Entre as receitas de pamonha estão as tradicionais, de sal e de doce, ambas a R$ 6,00 a unidade, e à moda, com linguiça ou frango (R$ 6,50 cada uma). Avenida Rio Grande do Sul, 10, Setor Campinas, (62) 3291-6953 (40 lugares). 7h/22h. Aberto em 1975.

    Rei da Pamonha
    Aberta desde 2001, a casa funciona sob o comando da proprietária Gláucia Vieira, que prepara as versões do quitute típico da cidade. As pamonhas de sal, de doce e de pimenta, todas com queijo, são vendidas por R$ 2,50 cada uma. Como destaque está a pamonha à moda (R$ 3,00), com linguiça, queijo e pimenta. Os clientes também pedem o bolinho de milho frito (R$ 1,25 cada um). Como sobremesa, há o curau de milho verde (R$ 2,00). Avenida Araxá, 949, Jardim Ana Lúcia, (62) 3091-3836. (24 lugares). 10h/21h. Aberto em 2001.

    Sabor e Milho
    Para experimentar sabores além daqueles das pamonhas tradicionais, como à moda (R$ 6,50), há a pamonha de sal com estrogonofe de frango, servida com catupiry e batata palha (R$ 9,90). Sugestão diversa, a chica doida, massa cozida de milho, pode levar até oito acompanhamentos. Queijo, tomate, azeitona ou linguiça são alguns dos ingredientes disponíveis (R$ 12,90, 500 gramas). Para completar, o suco de milho sai por R$ 7,00 o copo de 500 mililitros. 5ª Avenida, 440, Setor Leste Vila Nova, (62) 3202-4751 (90 lugares). 14h30/22h30 (dom. 15h/23h). Aberto em 1997.

    Continua após a publicidade
    Publicidade