Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Acusado de agredir ex, Johnny Depp é demitido de ‘Animais Fantásticos’

Ator foi dispensado pela Warner depois de perder processo contra jornal britânico que o chamou de 'espancador de esposa'

Por Amanda Capuano Atualizado em 10 nov 2020, 11h46 - Publicado em 6 nov 2020, 15h14

Johnny Depp não reviverá o papel do vilão Grindelwald na saga Animais Fantásticos, série de filmes derivada do universo de Harry Potter, iniciada em 2016. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 6, por meio de uma publicação do ator em seu perfil no Instagram. A decisão partiu da produtora Warner Bros., e vem pouco depois de Depp perder uma batalha judicial contra um jornal britânico que o chamou de “espancador de esposa”. Segundo a Variety, o longa deve ser adiado para 2022.

“Em razão dos eventos recentes, eu gostaria de fazer um breve pronunciamento. Primeiramente, gostaria de agradecer a todos que me deram apoio e lealdade. Estou honrado e comovido com todas as suas mensagens de amor e preocupação, especialmente nos últimos dias”, agradeceu o ator. “Em segundo lugar, gostaria de informar que a Warner Bros. solicitou que eu deixasse o papel de Grindelwald em Animais Fantásticos, decisão que eu respeitei e aceitei.”

Johnny Depp em animais Fantásticos Warner Bros./Reprodução

Depp ainda aproveitou a oportunidade para defender-se, e descreveu a perda do processo como surreal. Na sequência, afirmou que as alegações contra ele são falsas. “O julgamento surreal no Reino Unido não mudará minha luta para contar a verdade, e confirmo que eu planejo entrar com recurso”, diz se referindo à batalha contra o tabloide inglês The Sun. “Continuo determinado e pretendo provar que as alegações contra mim são falsas. Minha vida e carreira não serão definidas por este momento. Obrigado por ler”, finalizou.

View this post on Instagram

A post shared by Johnny Depp (@johnnydepp) on

Em 2016, a então esposa de Johnny Depp, Amber Heard, pediu o divórcio e uma ordem de restrição contra o ator, após alegar que sofria de violência doméstica. A Justiça concedeu a ordem depois que Amber compareceu ao tribunal com hematomas no rosto, atribuindo as marcas de agressão a uma briga com o ator. Em declaração juramentada, ela contou ter sido vítima de abusos físicos e verbais durante todo o tempo em que estiveram juntos. Depp e Heard se conheceram no set do filme de 2011 Diário de um Jornalista Bêbado, quando Depp ainda mantinha um relacionamento com a atriz francesa Vanessa Paradis, mãe de seu filho, Jack, e de sua filha, Lily-Rose.

Com as acusações contra Depp em 2017, no auge do movimento #MeeToo — que expôs uma série de casos de abusos em Hollywood —, os fãs de Harry Potter foram às redes sociais pedir a substituição do ator na saga. O pedido não só foi negado como J.K. Rowling, criadora da saga, publicou uma carta aberta em defesa do ator, depois que ele e Amber chegaram a um acordo na Justiça. De lá para cá, o ex-casal continuou trocando acusações. Em julho, Depp voltou à fogueira quando conversas entre ele e o ator Paul Bettany foram apresentadas pela defesa no julgamento do processo contra o The Sun. Nas interações, os dois falam em tom de piada sobre maneiras de ganhar dinheiro expondo Amber em sites pornô e discutem até como matá-la, ideias que vão do afogamento às brasas.

A perda do processo foi a última gota para Warner, que acumula controvérsias com o elenco do longa. Ainda não há informações sobre quem irá substituir Depp, ou o que será feito com o personagem, que tem papel de destaque na história.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)