BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana
Continua após publicidade

O perigo do calor para os pets: saiba como diminuir os riscos

Pássaros e algumas espécies de cães são os mais sensíveis

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 15 nov 2023, 11h50 - Publicado em 14 nov 2023, 19h10

As ondas de calor têm se tornado cada vez mais frequentes, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia. O fato de a notícia ter sido amplamente veiculada não impede a surpresa a cada novo recorde de temperatura, levantando preocupações com a saúde. Tomar cuidado com o calor e com a hidratação é extremamente importante, especialmente no caso de idosos e crianças, mas não se deve esquecer dos animais de estimação

Assim como os humanos, eles também são afetados pelas altas temperaturas e alguns podem precisar de atenção redobrada. Os pássaros são especialmente sensíveis, e por isso devem ser mantidos ao abrigo do sol, em um local ventilado e com água fresca para consumo e banho. Esses animais também podem se beneficiar de frutas à disposição. 

Além dos pássaros, os cães braquicefálicos, aqueles com focinho curto, também podem sofrer mais. Isso acontece porque cachorros não transpiram pela pele, como os humanos, então o mecanismo mais efetivo para o resfriamento do corpo é a troca de calor pelas patas e pelo ar inspirado e expelido. 

“Como eles têm dificuldade de respirar, não conseguem controlar a temperatura, o que pode levar à síndrome da hipertermia”, afirma a médica veterinária Maira Formenton, membro do Ambulatório de Dor e Cuidados Paliativos da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP) e diretora clínica do Fisioanimal. 

É normal que os animais, assim como os humanos, fiquem mais cansados e indispostos, mas alguns sinais devem ser observados com atenção. Especialmente nas raças mais afetadas, como pugs e bulldogs, tonturas, desmaios ou dificuldade para levantar podem ser sinais da síndrome, e, por isso, esses animais devem receber cuidado médico imediatamente. 

Continua após a publicidade

Independentemente da temperatura, os cuidadores devem estar atentos a quaisquer estranhezas. “Sempre que seu animalzinho mudar o comportamento habitual, como não se alimentar por um dia inteiro, não beber água, se recusar a interações ou tiver transtorno gástricos, como vômito e diarreia, é importante consultar um médico”, diz Kellen Oliveira, presidente da Comissão de Bem-Estar Animal do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

Não há, no entanto, motivo para pânico. Manter os animais longe do sol, com água fria à disposição em vários locais da casa, com acesso às áreas frescas e, se possível, com ventiladores e ar-condicionado pode ajudá-los a se sentirem melhor — isso também serve para os gatos. No caso dos cachorros, umedecer o dorso, as patas e a barriga também pode ser benéfico. As tosas são bem-vindas, mas um especialista deve ser consultado nesses casos.

Os passeios não precisam ser interrompidos, mas os cuidados devem ser redobrados: as caminhadas devem ser mais curtas, sempre à noite ou pela manhã, quando não há incidência de luz direta, e é importante levar água para manter a hidratação do animal. “Uma outra coisa importante é verificar a temperatura do chão — se estiver muito quente, isso pode gerar queimaduras graves sem que o cachorro perceba”, afirma Maira Formenton. 

Com todos esses cuidados, os animais devem passar ilesos pelo calorão.

Continua após a publicidade
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A melhor notícia da Black Friday

Assine VEJA pelo melhor preço do ano!

BLACK
FRIDAY

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana

a partir de R$ 1,00/semana*
(Melhor oferta do ano!)

ou

BLACK
FRIDAY
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)

ou

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app. Acervos disponíveis a partir de dezembro de 2023.
*Pagamento único anual de R$52, equivalente a R$1 por semana.