Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

#VirouViral Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Duda Monteiro de Barros
Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet
Continua após publicidade

Hamsters hibernam? O que especialista diz sobre post viral

Totalmente imóveis, mas ainda vivos: processo metabólico descrito levantou dúvidas entre os donos de roedores

Por Pietra Carvalho
Atualizado em 30 jul 2020, 20h23 - Publicado em 16 jul 2018, 11h34

O inverno segue firme em diversas regiões do país, e desta vez trouxe outra polêmica além da habitual “amo/odeio frio”: o hamster está morto ou hibernando? Um post explicando o mistério viralizou e foi compartilhado mais de 37 mil vezes. Nos comentários, uns respondem rindo, outros duvidando da veracidade da informação… Há até quem acredite já ter enterrado o próprio pet vivo!

No post original a tatuadora Carol Dias, 23 anos, afirma que é possível retirar o roedor da hibernação, ou estado de “torpor”, aquecendo o bichinho. Ao #VirouViral, Carol conta que editou a publicação com as informações que acredita serem mais confiáveis após a informação ter sido contestada nos comentários. Em post semelhante, mas desta vez no Twitter, uma usuária recomenda que donos de hamsters usem o secador de cabelo para despertá-los do estado adormecido. A prática, no entanto, é desaconselhada por profissionais.

Rodrigo Ferreira, especialista em roedores na Clínica ExotiCare de São Paulo, explica que, se o secador for usado com pouco cuidado, o ar pode agredir o bichinho ou também causar um processo estressante. “A hibernação é um processo natural de defesa e o metabolismo se adapta a tal situação, geralmente quando há uma queda brusca de temperatura”, explica o veterinário.

Continua após a publicidade

Ferreira confirma que há embasamento biológico no que é enunciado: a variação mais comum do Brasil, o hamster sírio, é uma das espécies que hibernam. Outras espécies menos comuns no país, como os hamsters anões, provenientes de lugares como Sibéria e China, não fazem o mesmo processo por estarem mais habituados às temperaturas baixas.

É importante frisar que não há motivo para alarme por parte dos donos de hamsters sírios: a iniciativa dos animais visa estritamente reservar energia diante de uma situação atípica. A sugestão de soprar ar com a própria boca, bem como enrolar o animal em um pano embebido em água morna, são formas saudáveis de dar fim ao processo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.